Safadinha de 14 anos é encontrada em motel com homem de 29

Emanuel Cardoso dos Santos, 29 anos, foi autuado em flagrante sob acusação de estupro vulnerável contra uma adolescente de 14 anos de idade, em um motel do bairro Piauí, em Parnaíba, cidade do litoral do Piauí. Em seguida, foi encaminhado da Central de Flagrantes para a delegacia do 2º Distrito Policial.
As informações são de que a menina mesmo tendo 14 anos não era mais virgem e já “dava” facilmente para quem se envolvia. Mesmo com a sua vadiagem, por ser menor de idade, lhe é permitido transar com menores mas não com adultos; nesse quesito para a Lei o que vale é a idade, não o ato sexual. Uma lei portando altamente feminista.
Uma guarnição da Polícia Militar do Piauí comandada pelo subtenente Wilton Alves de Araújo foi acionada através da Central de Operações Policiais Militares (COPOM), por funcionário do próprio motel,  dando conta de que um homem teria entrado com uma adolescente.
Os policiais foram até o estabelecimento e o recepcionista indiciou o quarto onde estaria o casal. Quando os dois saíram do quarto, foi dada voz de prisão a Emanoel Cardoso dos Santos. Ele reagiu e foi algemado a força e conduzido à delegacia, já a menina vadia foi liberada para que saia atraindo mais vítimas.

Feminismo em alta:

No caso de estupro a bacharel Vilma Alves, titular da Delegacia da Mulher em Teresina, defende na imprensa que “o homem seja castrado”. A delegada costuma conceder entrevistas para a imprensa sobre esse tema onde nota-se claramente em seus olhos e feições o ódio que ela alimenta pela classe masculina. Sua dedicação ao trabalho nos parece que lhe causou uma patologia e a delegada deveria procurar tratamento, enquanto também deveria defender que se costurasse a vagina de mulher que metesse chifre no marido.

(*) Com informações adicionais site Proparnaíba. Demais dados conseguidos junto a entrevistados na cidade de Parnaíba/PIpela editoria do tribunadebarras.com

Comentários no Proparnaíba:


Diego Albert

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *