Diante do impasse entre os grupos que buscam a presidência do River Atlético Clube, a Federação de Futebol do Piauí – FFP, decidiu adiar o primeiro jogo do Galo no Campeonato Piauiense 2021. A partida com o Tiradentes-PI, marcada para 21 de Fevereiro, agora será disputada em 9 de Março!

Com isso, o River ganhou novo prazo para que a disputa judicial das eleições deste ano seja resolvida. A estreia do tricolor deverá acontecer no dia 24 de Fevereiro, fora de casa, contra o Picos. Até lá, o clube precisará ter um presidente ou interventor como representante legal na FFP, dando condição para registro de jogadores que irão disputar o Estadual.

A chapa “Resultado e Transparência”, encabeçada por Robert Ibiapina e impugnada antes do pleito realizado em 9 de Janeiro, recorreu na Justiça para ser mantida na disputa. Além disso, o grupo pediu a impugnação da chapa “Pintinho”, que teve Ítalo Barros como candidato único e considerado eleito pelo clube.

O juiz Teófilo Rodrigues Ferreira, da 3ª Vara Cível de Teresina, não concedeu liminar e marcou audiência de conciliação para o dia 19 de fevereiro, às 10 horas, no auditório da 4ª Vara Cível de Teresina.

Antes da Justiça, a FFP tentou essa conciliação, em reunião na quinta-feira, na sede da entidade. O presidente da Federação, Robert Brown Carcará, recebeu representantes dos dois grupos rivais. Contudo, não houve acordo, e o River segue sem representante legal.

A oposição pediu espaço na atual composição da mesa diretora e queria ter os cargos da vice-presidência (hoje com Genivaldo Campelo), três diretorias e metade do Conselho Deliberativo, enquanto a situação ofereceu duas diretorias e promessa de apoio a Robert Ibiapina na próxima eleição, com mandato 2024-2026. Nada foi aceito.

O presidente da FFP, Robert Brown Carcará, explicou a intenção da FFP de ajudar na situação com o adiamento do jogo, medida que também beneficia o Tiradentes-PI, que enfrenta problemas financeiros e começou a anunciar reforços somente nesta semana.

Pelo regulamento, cada clube precisa ter seus jogadores registrados até o último dia útil anterior ao jogo. Com isso, o River tem até 23 de fevereiro para regularizar os atletas antes da estreia contra Picos – quatro dias após a audiência de conciliação. O time treina desde janeiro, mas sem contratos regularizados na Confederação Brasileira de Futebol – CBF.

Se na audiência do dia 19 o impasse for mantido e o River seguir sem comando, o clube corre risco de não ter time para enfrentar Picos e perderá por W.O. Essa situação, Brown prefere não contar no momento.

(*) Com informações e foto do Globo Esporte