Após sete anos de dívidas financeiras, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) tem prazo de 15 dias para pagar mais de R$ 52 milhões ao Clube Cearense Icasa. Por conta do não acesso da equipe Cearense para o Brasileirão série A de 2014, isso fez com que a justiça confirmasse o mandato não pago pela CBF.

O caso que aconteceu no ano 2013, foi uma escalação inrregular do time Figueirense na segunda rodada daquele Brasileirão série B, onde o atleta Luan Niedzielski tinha ainda contrato com o Clube Metropolitano, assim o jogador foi escalado deixando a equipe do Ceará com um ponto de diferença do Figueirense, que avançou naquele ano a série A de 2014, mas com esse erro, a CBF reconheceu.

Dos R$ 52 milhões cobrados pelo Icasa, 18 R$ milhões são de danos materiais e 3 R$ milhões são de danos moral. Quase 7 R$ milhões de correção monetária, também mais de 20 R$ milhões de juro e perto dos 6 R$ milhões de honorários. Ao todo 3 R$ milhões foram deduzidos pelo clube ainda em 2014 referente os direitos das transmissões da série B. Caso não aconteça o pagamento, a dívida vai ser aumentada em 10%.

(*) Por Eduardo Bezerra, correspondente do Tribuna do Nordeste no Ceará