Procurador ajuíza ação para que Alfredo Barbosa, vice-prefeito de Barras, perca o mandato e fique inelegível

Ao lado da esposa, Alfredo Barbosa exibe diploma de vice-prefeito de Barras
até 2012

A Procuradoria Regional Eleitoral no Piauí (PRE), por meio do procurador regional eleitoral, Marco Aurélio Adão, ajuizou 108 ações de perda de cargo eletivo contra vereadores, vice-prefeitos e prefeitos de 73 municípios do Piauí em razão de infidelidade partidária. As ações foram movidas contra mandatários de cargos eletivos que se desfiliaram do partido pelo qual se elegeram nas eleições municipais de 2008 sem justa causa.

Mandatários que migraram para as novas agremiações partidárias, PSD e PPL, não foram acionados pelo PRE tendo em vista que, de acordo com a Resolução TSE nº 22.610/2007, este caso (criação de novo partido político) enquadra-se como justa causa para a desfiliação.

Ao todo, foram indiciados três prefeitos (Brasileira, Cocal e Palmeirais), seis vice-prefeitos (das cidades de Joaquim Pires, São Raimundo Nonato, Luís Correia, Corrente, Palmeira do Piauí e Barras), e 99 vereadores.

Confira a lista completa aqui.

O promotor Marco Aurélio Adão declarou à TV Cidade Verde que um o maior número de desfiliações e novas filiações foi registrado durante os meses de setembro e outubro. “Esse período coincide com o final do prazo para a desfiliação de quem vai disputar as eleições de 2012. Essas desfiliações não tem relação com pressão do partido mas com pretensão eleitoral”, declarou.

Adão acrescenta que pedirá ao TRE que agilize o julgamento destes político para que ele ocorra ainda no primeiro semestre de 2012.

Leia abaixo a análise do caso feita pela jornalista barrense Socorro Carcará no seu blog no portal Meio Norte: 

Mais um político pode perder o mandato em Barras. Agora é o vice-prefeito, Alfredo Barbosa. No afã de concorrer à prefeitura pelo grupo do ex-prefeito Manim Rêgo (que também foi cassado e ficou inelegível), e observando que não teria chances de se candidatar pelo PMDB, já que o prefeito  Francisco Marques seria o candidato natural, Alfredo se desfiliou do PMDB e passou a fazer parte do partido do governador do Estado, Wilson Martins, o PSB. O ex-vice-prefeito foi imprudente e não deve ter medido e pesado as consequências do seu ato que poderiam culminar com a perda do seu mandato. E é o que pode acontecer. Na verdade, Barbosa não tinha muita opção. Se corresse o bicho pegava. Se ficasse o bicho comeria. Na dúvida, preferiu arriscar.

A ação foi movida pela Procuradoria Regional Eleitoral no Piauí (PRE), por meio do procurador regional eleitoral, Marco Aurélio Adão, que ajuizou 108 ações de perda de cargo eletivo contra vereadores, vice-prefeitos e prefeitos de 73 municípios do Piauí em razão de infidelidade partidária.
As ações foram movidas contra mandatários de cargos eletivos que se desfiliaram do partido pelo qual se elegeram nas eleições municipais de 2008 sem justa causa. Mas ainda serão julgadas.
Por enquanto, Alfredo Barbosa continua sendo vice-prefeito. Marco Aurélio Adão diz que pedirá ao TRE que agilize o julgamento destes político para que ele ocorra ainda no primeiro semestre de 2012 e assim evitar que se candidatem a cargo eletivo.
Entretanto, as informações que chegam ao meionorte.com é de que, caso se confirme a sua cassação, o vice vai recorrer. Vai alegar que sofreu perseguição política por parte do prefeito Francisco Marques que o induziram à desfiliação partidária.
Quem vai lucrar com isso é o presidente da Câmara de Vereadores, Edgar Raulino Barbosa, porque assumirá a prefeitura toda vez que o prefeito precisar se ausentar. É a lei, na falta do prefeito, o presidente da câmara assume. Ou que sejam amigos ou que sejam inimigos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *