Aliados reagiram contra o projeto do senador Ângelo Coronel (PSD) que quer acaba com a exigência de 30% de candidaturas femininas nas chapas

Para a deputada federal Lídice da Mata (PSB), a proposta é “descabida e inadmissível”. “Este projeto não condiz com a luta das mulheres no Brasil pelo aumento da participação na política. Estarei à frente da resistência a este retrocesso e não estarei sozinha. Nosso lema é Mais Mulheres na Política”, condenou a socialista.

Presidente do PT em Salvador, Gilmar Santiago endossou as críticas. “É no mínimo um equívoco, pois, em vez de acionar outros mecanismos para combater a fraude das candidaturas laranjas, como maior controle da Justiça Eleitoral e fiscalização dos partidos políticos, ele apresenta um projeto que vai de encontro a lutas das mulheres”, atacou o petista.

Para Coronel, a cota feminina tem favorecido o surgimento de “candidaturas laranjas”. O deputado estadual Marcelino Galo (PT) disse que o projeto “vai contramão de tantas conquistas das mulheres na política”. “Trabalhar pela retirada desses direitos é escolher o lado errado da democracia”, criticou.