Autor confesso das facadas que mataram o turista argentino Luis Daniel Barizone, 65 anos, em Itapuã-BA, Lucas Amâncio de Souza, conhecido como Chuck, 22 anos, disse que a intenção era só roubar. “Foi uma besteira, uma burrice que aconteceu. A ideia era só pegar o dinheiro”, declarou ele, que tinha parte da cabeça enfaixada na apresentação desta quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2019, no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa. Luis Daniel estava com a família quando foi golpeado durante assalto na terça-feira (19). 

Segundo a polícia, Luis reagiu à abordagem e foi atacado por Lucas, que o golpeou mais de uma vez nas costas. “Quando dei por mim, estávamos rolando no chão e depois ele começou a sangrar. Fiquei assustado e corri para um lado oposto que ele estava”, contou Lucas.

“Somente o Departamento de Polícia Técnica (DPT) irá precisar a quantidade (de golpes)”,  emendou a delegada Milena Calmon, titular da 1ª Delegacia de Homicídios/Atlântico, uma das responsáveis pelo caso.

O acusado disse que somente soube da morte do argentino quando foi preso. “Não saía de casa pra nada. Os policiais que me contaram que ele (argentino) tinha morrido. Não era para ter acontecido isso”, declarou.

Ele disse que foi chamado para o assalto por Danilo, que afirmou o contrário. “A ideia foi nossa. A gente queria só o dinheiro”, disse Danilo.

 Turista argentino assaltado e morto na Bahia

Dinheiro
Os criminosos roubaram da vítima R$ 100 e dois celulares. “O dinheiro eles compraram roupas e os aparelhos venderam por R$ 200 e R$ 300 para comprar droga”, declarou a delegada Milena Calmon.

A polícia investiga a possibilidade de a dupla estar envolvida em outros crimes relacionados à turistas. “Estamos concentrando nossas investigações, cruzando informações com outras unidades, para saber se os perfis deles coincidem nas descrições de vítimas de outros pontos turísticos”, declarou a delegada Marita Souza, titular da Delegacia de Proteção ao Turista (Deltur). 

Prisão
Lucas e Danilo foram presos cerca de 36h após o latrocínio. Com depoimentos de testemumhas, ações de inteligência e diligências, Lucas foi localizado por equipes da 15ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Itapuã), na noite de quarta-feira (20), próximo da Lagoa do Abaeté, onde mora. “Importante ressaltar que o caso foi uma exceção. Patrulhamos diariamente a região e o fato aconteceu em um local sem iluminação pública, o que estimula a prática criminosa”, destacou o comandante da 15ª CIPM, major Marcelo Franco.

Já na manhã desta quinta-feira, Danilo terminou capturado por investigadores da 12ª Delegacia (Itapuã) e do DHPP, também no bairro de Itapuã. “Grande trabalho integrado envolvendo três delegacias e a PM. Esperamos que a dupla permaneça por bastante tempo presos”, declarou o titular da 12ª Delegacia, delegado Nilton Tormes.

Lucas acumula, com este caso, seis passagens pela polícia pelos crimes de roubo, furto, tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. Danilo, por sua vez, assumiu ter cometido roubos na adolescência, mas pela primeira vez foi pego.

(*) Correio24horas