O deputado estadual piauiense, Fernando Monteiro (PRTB), faleceu na manhã desta quinta-feira, 26 de dezembro de 2019,  no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Ele tinha 68 anos e lutava contra um câncer no fígado. No Natal, o parlamentar teve uma piora no quadro de saúde e acabou não resistindo. 

Em janeiro de 2019 o parlamentar descobriu um câncer hepático e iniciou o tratamento no Hospital Sírio Libanês.  Em novembro, ele foi ao hospital para realizar exames e chegou a retornar à Teresina. No mesmo mês, teve que voltar e ficou internado na UTI do hospital. Foi cogitado a possibilidade de fazer um transplante de fígado, mas seu quadro não era favorável. 

O corpo do deputado natural de Teresina-PI, ainda está em São Paulo. Familiares aguardam os procedimentos finais para a liberação e traslado para capital piauiense. O velório acontecerá nesta sexta-feira (27) na Assembleia Legislativa do Piauí.

Ele deixa a esposa Fabiana Monteiro e três filhos Marcos, Fernando Filho e Lauro.

Um articulador

Fernando Monteiro se destacou por ser um articulador. Sempre acompanhou a política de forma atenta. O parlamentar ajudou na formação de partidos como o PFL, PTB e PRTB. Fernando participou de governos antagônicos como o de Hugo Napoleão e Wellington Dias.

Ele foi um dos primeiros pefelistas a estabelecer aliança com o PT no estado. A última articulação que se envolveu foi na eleição da mesa diretora da Assembleia Legislativa em fevereiro de 2019 que dividiu o imenso bloco governista. A adesão de Monteiro a Themístocles Filho (MDB) foi passo fundamental para a vitória da chapa única para a reeleição do atual presidente. Fernando Monteiro foi vice-presidente na mesa diretora.  

Relembre trajetória de Fernando Monteiro

Fernando Alberto de Brito Monteiro, nasceu na cidade de Picos, em 20 de junho de 1951. 

Economista, ele exerceu os cargos de Consultor Técnico do CEAG/PI, professor da Escola Técnica Federal do Piauí e da Universidade Federal do Piauí. Elegeu-se vereador de Teresina, exercendo o mandato de 1983 a 1988 e a partir de 1986, elegeu-se Deputado estadual, reelegendo-se sucessivamente, sendo atualmente o único parlamentar decano da Casa, com nove mandatos consecutivos e exercia ainda o cargo de vice-presidente da Assembleia Legislativa do Piauí. 

Fernando foi secretário de Defesa Civil no segundo governo Hugo Napoleão e no segundo governo Wellington Dias, presidente do PRTB no Piauí. 

Entusiasta do Carnaval de rua, Fernando fundou a premiadíssima escola de samba Ziriguidum e foi presidente por várias gestões. Trouxe para Teresina figuras como Neguinho da Beija Flor e conseguiu o feito de ter em Teresina o carnavalesco Paulo Barros, que em 2017 foi vencedor com a escola Portela.  

Nenhuma descrição de foto disponível.