Reunidos no Restaurante Casarão, zona leste de Teresina,  dirigentes de vários clubes de futebol profissional e ligas de futebol, lançaram apoio à reeleição de Cesarino Oliveira para mais um mandato à frente da Federação de Futebol do Piauí – FFP. O evento contou com a presença de dirigentes de clubes e da FFP, desportistas, cronistas esportivos e ex-atletas profissionais.

O presidente licenciado do Altos, Warton Lacerda, falou aos presentes, abrindo o evento e ratificando o apoio do atual campeão piauiense. Depois usaram da palavra os presidentes da Liga de Teresina e da APCDEP (Chico Costa), do Tiradentes-PI (Coronel Pereira), Flamengo-PI (Everaldo Cunha), Timon (Leal Filho), Bicudo (São Paulo, do Bairro Mocambinho, clube amador), além dos desportistas José do Egito (ex-presidente do TJD da FFP), e Aroldo Francisco (vice-presidente de patrimônio do River-PI, que brigado com o presidente, não fala em nome do clube). Esteve também presente Kennedy Gomes, treinador Sub-17 do Piauí Esporte Clube, representando o presidente Jacob Mesquita Júnior. Faltaram a reunião os presidentes do Parnahyba, Caiçara, Comercial-PI, 4 de Julho-PI, Picos-PI, Cori-Sabbá, além de outros filiados. Dos clubes que disputam a primeira divisão do futebol piauiense, apenas o Altos,  Flamengo-PI e Piauí Esporte Clube, estiveram com representante oficial na reunião.

Além do apoio a atual gestão da FFP, os dirigentes aproveitaram para abordar outros temas vinculados ao futebol profissional. Warton Lacerda lamentou a situação de abandono do Estádio Albertão – mas é amigo pessoal do governador e deveria ajudar a resolver a situação; Everaldo Cunha, do Flamengo-PI, reclamou da falta de competições federadas que revelam talentos – mas a base do Flamengo-PI está em atividade apenas o Sub-17 graças aos treinadores Raimundo Soares, Amarildo Oliveira e Francisco Oliveira.  A propósito, a realização da Copa Piauiense Sub-21 foi bastante elogiada.

A eleição da Federação de Futebol do Piauí acontecerá no último trimestre do ano, para o mandato que irá de 2019 a 2022. Além dos clubes filiados, também terão direito a voto várias ligas da capital e do interior, hoje também filiadas à entidade mater do futebol piauiense.

Cesarino Oliveira, os clubes e seus dirigentes

Cesarino Oliveira organizou a FFP, mas os clubes, na maioria quase que absoluta, devido as péssimas administrações, navegam em mares bravios e tendem a fechar as portas se não forem administrados por cidadãos de bem e que estejam dispostos realmente a trabalhar pelo futebol e não por suas causas próprias.

Penhorados à própria FFP por dívidas, com patrimônio sucateado ou vendido, Flamengo-PI e Piauí Esporte Clube tendem a fechar as portas em definitivo se não houver “uma luz no final do túnel”. Aliás, Flamengo-PI e Piauí Esporte Clube só disputaram o Campeonato Piauiense de 2018 porque foram ajudados financeiramente pela própria FFP, senão o Estadual deste ano só teria 4 clubes disputando. O Parnahyba sobrevive graças a força da sua torcida, que colabora e cobra dos dirigentes. Os demais não são clubes, são times que só disputam o Campeonato Piauiense se a prefeitura das suas cidades se responsabilizarem pela folha de pagamento. Tem que mudar tudo – tudo mesmo -, para que o futebol piauiense saia do mar de lama que entrou.

Cesarino Oliveira sucedeu Lula Ferreira, que esteve no cargo de presidente por décadas. Após uma turbulento processo eleitoral que começou em 2010, Cesarino assumiu efetivamente o posto apenas em 2012, quando começou sua gestão na FFP. Em 2014, em um cenário menos conturbado, Cesarino foi aclamado presidente e reeleito por mais quatro anos – primeiro mandato completo. Em 2018, o ex-jogador disputa novamente a eleição.

(*) Com informações adicionais e foto – Site do Buim