A folia tomou conta da zona leste de Teresina no sábado e domingo de Carnaval. Uma festa elitizada sim, mas sem os problemas dos bairros da periferia e das cidades do interior do Piauí. No sábado, milhares de pessoas se divertiram numa das avenidas Bairro Jóquei Clube com o Bloco Capote da Madrugada, no domingo foi a fez do Bloco Pinto na Morada, no Bairro Morada do Sol. Pessoas de todas as idades, fantasiadas ou não, com celular fazendo fotos, relógio nos braços, carteiras porta cédulas expostas, brincavam ao som de frevo, marchinhas, samba e maracatu, músicas do verdadeiro carnaval.

No parágrafo acima da matéria do portal de notícias Tribuna do Nordeste descrevemos: “Pessoas de todas as idades, fantasiadas ou não, com celular fazendo fotos, relógio nos braços, carteiras porta cédulas expostas“, por ser um fato incomum nos bairros da periferia de Teresina, cidades do interior do Piauí e outros estados. Em clima de paz, descontração, pessoas dançando… de imediato “topavam” casualmente em outras… um pedido de desculpas e até um abraço numa pessoa desconhecida ou ainda um pedido para tirar juntos uma selfie era o desfecho do “esbarro”; enquanto que em outros lugares onde as pessoas não vão desarmadas de espírito e sim armadas com revólver ou faca na cintura, e onde o mau comportamento se une a embriagues e a droga, isso é impossível de acontecer.

Enfim, Teresina descobriu como impedir seus foliões no Carnaval de irem para o litoral piauiense, cidades do interior do Piauí e de outros estados! Faz um carnaval para famílias brincarem juntas, pais e filhos, avós e netos… e o mais importante, com músicas que não agridem, que não corrompem a moral e os bons costumes de crianças, adolescentes e jovens. A iniciativa vem do próprio povo, em especial das classes média e alta da sociedade da bela e moderna capital do Piauí.

Teresina em 2020 ressurge no mapa do bom carnaval nordestino e alguns irão classificar esta matéria do Tribuna do Nordeste como “preconceituosa”, porque é fora dos padrões da política de esquerda – como muitos logo atacam toda vez que se indica um padrão de vida organizado, sério, decente, respeitoso e respeitador. Mas essa dose de “elitização” do carnaval teresinense em 2020 é o que de fato está chamando atenção e fazendo a diferença para melhor.

Em tempo: conforme mostram outros meios de comunicação, na periferia de Teresina, festa de carnaval com brigas, assaltos, furtos, mortes… embaladas por funk, forró e swingueira em paredões de som.

O povo tem que educar-se primeiro e essa educação também passa pelo nível de músicas que embalam o carnaval, pelo nível moral dos artistas – muitos nas suas falas em cima dos palcos incentivam a degradação -, como se não bastassem as letras da suas músicas e as suas coreografias.

Educação é tudo e ela deve começar dentro de casa, para que na rua possa fluir como aconteceu na zona leste de Teresina nos desfiles do Capote da Madrugada e do Pinto na Morada.

Que a zona leste de Teresina continue em 2021 e nos próximos anos com seu carnaval “elitizado”, com músicas do carnaval verdadeiro, com segurança 100% (muitos policiais e viaturas nos locais dos blocos) e esse povo decente, brincalhão, ordeiro, que na segunda-feira de carnaval já fez da festa de momo da capital a melhor do Piauí em 2020.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé
A imagem pode conter: 5 pessoas, incluindo Counlyns Barbosa, pessoas em pé, óculos de sol e chapéu
A imagem pode conter: noite e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas em pé
A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas em pé, multidão e atividades ao ar livre, texto que diz "CAPOTE DA MADRUGADA ARRASTA 150 MIL FOLIÕES EM TERESINA"
A imagem pode conter: 2 pessoas
A imagem pode conter: 3 pessoas, atividades ao ar livre
Tribuna do Nordeste