O advogado Celso Barros  Coelho Neto foi eleito neste Sábado, 24 de Novembro de 2018, como o novo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB,  seccional do Piauí.

O anúncio oficial ocorreu por volta das 19 horas quando a votação teve que ser prorrogada devido ao voto de dois adventistas em Floriano-PI. Celso Barros comandará a Ordem dos Advogados até 2021.

A chapa 4 – liderada por Celso Barros – com o nome de  “Independência OAB” – obteve a maior votação com 3.024 votos  dos 7.216 votos válidos. A Chapa 1 (Lucas Villa) ficou com 37,44% (2.702) e a Chapa 2 (Carlos Henrique) com 20,64% (1.490). Duas pessoas votaram nulo e ninguém votou em branco.

Celso Barros vence uma das eleições mais disputadas da Ordem com direito a reviravolta na véspera da eleição. Ontem, a advogada Georgia Nunes desistiu de disputar à presidência e declarou apoio para ele.

Celso venceu nas urnas de Teresina, Água Branca, Barras, Bom Jesus, Floriano, Picos e Uruçuí. Ganhando por uma diferença de 322 votos em relação ao segundo colocado. Na capital obteve 41,8% dos votos, enquanto Lucas Villa, candidato da situação, ficou com 35,7% e Carlos Henrique com 21,7%.

Mais de nove mil advogados estavam aptos a votar. A maior parte em Teresina, mas também tinha colégios eleitorais em 11 municípios onde a Ordem possui subseção.

O movimento Independência OAB, liderado por Celso Barros, tem como principais pautas a independência da instituição, enfrentamento em favor das prerrogativas da OAB e mais trabalho para os jovens advogados. “Os advogados precisam entrar no mercado de trabalho, precisam trabalhar, e isso se dá com a justiça mais célere. Então, na medida em que a OAB tem independência, nós temos condição de ter um diálogo mais natural com o poder judiciário, assim como os outros poderes constituídos”, Celso Barros Neto.

Após o anúncio da vitória nas urnas, Celso Barros Neto, agradeceu à família, militantes e apoiadores. O advogado também convidou a advocacia piauiense a se unir, independente da chapa escolhida.

“Vamos lutar por essa união assim como todos que a representam. Essa é a casa da cidadania. É a casa da Advogada, do advogado de todos nós. Não só da Chapa Independência OAB, mas também das outras duas chapas que concorreram, e a jovem advocacia também, que nos deu muito ânimo. Meu muito obrigado”, declarou o presidente eleito.

Além do presidente, a classe elegeu representantes da Diretoria do Conselho Seccional, de Conselheiros Seccionais, de Conselheiros Federais, da Diretoria da Caixa de Assistência dos Advogados, das Diretorias das Subseções e Conselhos de Subseções para o próximo triênio 2019/2021.

O voto era obrigatório para todos os inscritos na OAB-PI e ausência pode ser justificada por escrito até o dia 26 de dezembro de 2018. As urnas eletrônica foram instaladas pelo Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI). Os três candidatos compareceram para a votação ainda no período da manhã.

Há 40 anos, Celso Barros Coelho, avô do presidente eleito, presidiu a Ordem por cinco mandatos seguidos. Em 2019, a família volta para a OAB/PI.

Formação Profissional de Celso Barros Coelho Neto:

O Celso Barros Coelho Neto é bacharel em Direito pela UFPI e advogado privado militante nas áreas de Direito Civil, Consumidor e Administrativo. É também advogado público do Estado do Piauí, tendo atuado na Procuradoria de Justiça e atualmente está lotado na Procuradoria Tributária.

É pós-graduado em Direito Constitucional pela UFPI e em Direito Público e Privado pela Escola Superior da Magistratura – PI, assim como também é pós-graduado em Direito Administrativo pela Universidade de Salamanca na Espanha. Tem ainda outros cursos de extensão em Direito pela Universidade Nacional de Buenos Aires na Argentina.

Tem vasta experiência em gestão classista, pois colaborou na ANAPE, sendo membro do Conselho Fiscal (2008/2010), Vice-Presidente do Conselho Consultivo (2010/2012) e Secretário Geral adjunto (2012/2014). Na Secretaria de Estado de Governo do Piauí foi Chefe de Gabinete e Assessor Técnico e já foi Assessor Jurídico do Gabinete da Assembleia Legislativa do Estado do Piauí.

No Magistério, foi professor de Direito Empresarial e de Direito Processual Civil, em faculdades particulares e na UFPI e também já foi professor da Escola Nacional de Seguros no Distrito Federal.