O Barras vence o Piauí e River e Flamengo empatam pelo Campeonato Piauiense

 O Barras vence o Piauí e River e Flamengo empatam pelo Campeonato Piauiense

Rafinha e Tote disputam a posse da bola: o Rivengo não teve vencedor.

Teresina (PI) – Faltou apenas a emoção do gol para coroar o grande jogo que Flamengo e River fizeram na tarde deste domingo (21), no Estádio Lindolfo Monteiro, onde o placar de 0 a 0 determinou a coluna do meio no jogo 04 do concurso 555 da Loteca. Apesar do empate, o River conquistou mais dois troféus para sua galeria – a Taça Cidade de Teresina, correspondente ao melhor índice técnico nos jogos do returno – e a Taça Tiradentes, oferecida pela Polícia Militar do Piauí, ganha na cobrança de tiros livres da marca do pênalti.

Foi o Flamengo quem começou melhor, buscando as primeiras oportunidades para abrir a contagem. E logo no início do clássico, Edson Di cabeceou com perigo. Em seguida foi a vez de Niel receber em boas condições de marcar. O chute saiu à direita de Robinho, mas também levando perigo à meta tricolor.

No concurso de quem subia mais alto, ganhou o zagueiro Laércio, do Flamengo.

Aos poucos, porém, o River foi tomando conta da partida e crsceu de produção. E só não deixou o 1° tempo com vantagem no placar graças a duas defessas monumentais do goleiro Robson, o grande destaque da partida. No primeiro lance, um chute de Thiago Marabá, no seguinte, a conclusão de Anderson Kamar.

Na fase final, Robson repetiu o mesmo desempenho, mas agora com o goleiro Robinho, do River, sendo mais exigido e também fechando o gol. O clássico poderia ser definido como o jogo dos goleiros, onde Robson e Robinho estiveram muito bem. O Flamengo andou pressionando no segundo tempo, mas depois sentiu a maratona de jogos e a viagem. O empate, porém, terminou sendo justo.

Célio, um dos destaques do Rivengo, em jogada com o meia Leo Maceió.

Mas como havia troféu em disputa, foi necessária a cobrança de tiros livres da marca do pênalti para se conhecer o vencedor. Melhor para o River, que venceu por 5 a 4 e ficou com a posse da Taça Tiradentes, oferecida pela Polícia Militar do Piauí. Aliás, o Galo ganhou também a Taça Cidade de Teresina, correspondente aos jogos do returno. Com o 0 a 0, não poderá mais ser alcançado e ficou com mais este título.

O goleiro Robson foi o principal destaque da partida. Mas também devem ser destacadas as atuaçõpes de Laércio, Robinho e Célio.  O trabalho da arbitragem, sob a direção de Francisco Pereira de Lima Júnor, foi muito bom, a altura do clássico, o mesmo acontecendo com a presença do público, que mais uma vez compareceu em grande número às dependências do Lindolfinho.



FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 0x0 RIVER (Campeonato Piauiense de Futebol da 1ª Divisão de Profissionais – Fase Classificatória – 11ª rodada – Taça Cidade de Teresina); Data: 21/04/2013 (domingo à tarde); Local: Estádio Municipal Lindolfo Monteiro (Teresina); Arbitragem: Francisco Pereira de Lima Júnior, auxiliado por Edmilson Timóteo da Silva e José Nilton da Costa.

Renda: R$ 46.815,00 com 3.978 pagantees (885 não pagantes).

Público total: 4.863 torcedores.

Cartões amarelos: Rafinha, Leo Maceió (FLA), Célio, Neto e Anderson Kamar (RIV).

Obs.: Como a Polícia Militar ofereceu o Troféu Tiradentes para o vencedor do clássico, foi necessária a cobrança de tiros livres da marca do pênalti para se conhecer o vencedor.

1ª série – 3×3 – Edson Di (perdeu), Isael William (River 1×0), Neílson (perdeu), Jardel (River 2×0), Darlan (Flamengo 1×2), Tote (perdeu), Augusto (Flamengo 2×2), Rhuann (perdeu), Leo Maceió (Flamengo 3×2) e Thiago Marabá (River 3×3).

2ª série – Rafael Araújo (Flamengo 4×3) e Jó (River 4×4).

3ª série – Marcelo (perdeu) e Neto (River 5×4).

Flamengo – Robson; Niel (Bruno Potiguar), Laércio, Rafael Araújo e Rafinha (Darlan); Alessandro, Marcelo, Léo Maceió e Neílson; Lúcio (Augusto) e Edson Di. Técnico: Josué Amaral Teixeira.

River – Robinho; Tote, Jó, Chicão e Zé Rodolpho (Jardel); Célio, Neto, Jéferson (Isael Willams) e Thiago Marabá;  Anderson Kamar (Rhuann) e Maranhão. Técnico: Edson Blevio Porto.

Diego Albert

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *