Uma mulher, identificada como Maria Valdeni da Silva Alencar, foi presa acusada de enterrar o corpo de sua neta recém-nascida no quintal de sua casa, na cidade de Padre Marcos, sul do Piauí, com a finalidade de encobrir a gravidez de sua filha de apenas 14 anos! Maria Valdeni disse que “não aceitava a raparigagem da filha que aos 14 anos não é mais virgem e que se o pai dela soubesse da gravidez com certeza a matava”.
Segundo informações, a filha de Maria, E. S. A de 14 anos, teria tido o bebê no dia 15 de Novembro em Picos, porém ninguém sabia que a adolescente estava grávida, nem mesmo o pai da garota, o agricultor Edimar Augustinho.
Para a polícia, a acusada disse que o bebê nasceu prematuro e não resistiu. De acordo com documentos do Hospital Regional Justino Luz, a criança nasceu saudável após 34 semanas de gestação e a Declaração de Nascido Vivo (DN), documento de identidade provisória expedido pelo hospital, atestou que a criança saiu do centro de saúde ainda viva, no sábado, dia 16/11.
O corpo do recém-nascido foi encontrado enterrado e em estado avançado de decomposição no quintal da casa da família. A polícia fez a exumação do cadáver na noite dessa sexta-feira (21), que será levado para o IML, em Teresina, para que o motivo e a data da morte da criança possam ser comprovados.
A menor, que está internada com problemas de saúde, informou ao Conselho Tutelar, que nem chegou a pegar a sua filha no colo. A avó, já foi autuada em flagrante por ocultação de cadáver e será investigada se teve ou não participação na morte na criança.

ca2.jpg

ca4.jpg
ca6.jpg
cas.jpg
ca5.jpg
ca7.jpg

Fotos: site Cidades Net