Vereador de São Luís descobriu num galpão alugado pela prefeitura de São Luís, vários equipamentos que estavam faltando nos hospitais em plena pandemia do covid-19.

Se o MP existir, as Leis e Justiça já podem agir, poderão encontrar até os testes que desapareçam e toda cloroquina, azitromicina, e outras doações do governo federal.

Seria essa uma pista para outros matérias que “sumiram”? Entrada do parlamentar foi impedida, mas agiu rápido, chamando a polícia, e conseguiu entrar nos galpões. O vereador prometeu acionar os responsáveis.

“Irei dar entrada na Câmara Municipal de São Luís em um pedido de impeachment do prefeito de São Luís e a saída do Secretário. Estamos num momento crítico, delicado onde vidas estão se perdendo e o que estamos constatando é que o dinheiro público não está sendo aplicado. Nossa população precisa ser respeitada, a saúde tem que ser levada a sério e não iremos parar”, afirmou Umbelino Junior.

Segundo o vereador, que comandou uma verdadeira fiscalização feita nas dependências dos galpões do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, o município tinha material de sobra nos galpões, ainda assim, fizeram compras sem licitações dos materiais.

Lamentavelmente em São Luís, capital do Maranhão, cujo prefeito Edivaldo Holanda Júnior faz parte do”consórcio comunista” de Flávio Dino, a administração pública parece um gargalo para a corrupção. Parece, mas, tudo indica que coisas muito sérias estão acontecendo por lá, como foi descoberto recentemente por um vereador que estava cumprindo sua função de fiscalizar.

Durante a vistoria, Umbelino verificou que no estoque haviam cerca de 45 mil unidades de máscara N95, aproximadamente 59 mil máscaras cirúrgica descartável e 2.725 aventais impermeáveis.

O que chama a atenção do vereador, foi que, após o município decretar situação de calamidade pública, pelo menos dois contratos foram firmados para a compra de materiais numa grande quantidade que até o momento não chegou no local.

Segundo o levantamento, as empresas deveriam fornecer no mês de abril, 320 mil máscaras entretanto, conforme planilha demonstrativa apresentada pelo funcionário da terceirizada, nos meses de abril e maio deste ano, foram recebidas 67.524 máscaras, assim restam pendentes as entregas de 252.477 unidades de máscaras.

Umbelino também analisou os contratos firmados pelo município. Segundo informações divulgadas pelo Portal da Transparência, consta a contratação da empresa PRECISION SOLUÇÕES EM DIAGNÓSTICOS LTDA, onde o contrato firmado n° 100/2020 confirma a compra de 270 mil unidades de máscara cirúrgica descartável tripla, filtragem superior a 95% em não tecido, o valor total dos materiais adquiridos chega a R$ 2.673.000,00.

(*) aprovinciadopara.com.br

Tribuna do Nordeste