Em reportagem publicada nesta sexta-feira, 12 de junho de 2020, o Site O Antagonista revelou que o Tribunal de Contas de Pernambuco mandou a Secretaria de Saúde do estado devolver ao erário R$ 13,6 milhões referentes à compra de 110 ventiladores pulmonares comprados, mas nunca entregues.

De acordo com decisão da Corte, o dinheiro foi repassado à empresa Hempcare por meio de dois contratos envolvendo o Consórcio Nordeste.

“O primeiro contrato previu o repasse de R$ 49,4 milhões à Hempcare par a compra de 300 respiradores: 60 para a Bahia, cujo governo capitaneou as negociações, e 30 para cada um dos demais estados do Nordeste. Pernambuco gastou R$ 4,9 milhões com esse primeiro contrato”, diz O Antagonista.

A segunda compra também foi de 300 respiradores, que custou R$ 48,7 milhões, mas exigiu pagamento antecipado integral. O governo de Pernambuco, comandado por Paulo Câmara (PSB), gastou R$ 8,7 milhões com esse novo contrato.

De acordo com o TCE, não houve transparência na comunicação das compras e nem os valores foram lançados no sistema de acompanhamento de gastos.

Tribuna do Nordeste