O policial militar Wanderley Rodrigues da Silva, que atirou contra o sanfoneiro Saulo Dugado, na última Quinta-feira, 17 de Maio de 2018, após um desentendimento dentro de uma padaria em Teresina, teve a liberdade provisória anulada pelo Ministério Público Militar ontem, Segunda-feira (21). Wanderley é investigado como suspeito do furto de R$ 300 mil de um montante de R$ 700 mil roubados do Banco do Nordeste, em Teresina, fato ocorrido em Dezembro de 2017.

A liberdade do PM foi decretada sob a condição de não andar armado, até o final do processo, segundo o alvará de soltura e termo de compromisso emitido pela 9ª Vara Criminal de Teresina, assinado pela juíza Valdênia Moura Marques de Sá no dia 17 de Abril deste ano.

Após o incidente, a juíza da 9ª Vara Criminal da Comarca de Teresina entendeu que houve o descumprimento por parte do militar das condições impostas na alvará de soltura. E, por conta dessa conduta, resolveu revogar a liberdade provisória e decretar a prisão preventiva da Wanderley da Silva.