Após o ministro da Educação do governo de Jair Bolsonaro, Ricardo Vélez, dizer me entrevista à Veja que Cazuza “pregava que liberdade é passar a mão no guarda”, a mãe do artista, Lucinha Araújo, fez uma carta aberta para cobrar respeito. De acordo com informações, a frase, que na versão original continha ainda a palavra “bunda”, na verdade era uma gozação do programa humorístico “Casseta & Planeta”, nos anos 1980.


 “Se meu filho estivesse vivo, tenho certeza de que ele me pediria piedade”, escreveu ela. “Mas como não sou ele e minha idade suprimiu os panos quentes, considero inadmissível uma pessoa, ocupando o cargo que ocupa, não ter a preocupação de, sem compromisso com a verdade, citar uma pessoa pública”, declarou Lucinha, acrescentando que gostaria de deixar aberta a possibilidade de retratação pública, “para que não seja necessário ter de tomar providencias jurídicas”.