Situação complicada para o apresentador Luciano Huck, como mostra a coluna Radar, da Revista Veja, em uma matéria publicada nesse final de semana. Tudo porque o marido de Angélica está enfrentando um processo bastante polêmico. Os herdeiros de um coordenador de faculdade já falecido estão pedindo judicialmente 150 mil reais por danos morais da TV Globo e do apresentador Luciano Huck.

O professor estava saindo de um exame médico na Praça Saens Peña, na Tijuca, quando foi abordado por um ator que, em encenação, pediu sua camisa dizendo que estava precisando de uma, pois estaria a caminho de uma entrevista e tinha sujado a sua de tinta.

Mesmo sem sua autorização, a imagem do professor “gordo, baixo, careca e barrigudo”, segundo definiu sua própria defesa, foi exibida durante o programa Caldeirão do Huck, o que virou motivo de piada entre seus conhecidos.

O caso corre na 41ª Vara Cível da Capital. No entanto, essa não é a primeira vez que o comunicador se envolve em uma confusão. Apresentador da Globo, Luciano Huck se envolveu em uma nova polêmica, agora com políticos, por causa de um fundo partidário feito em parceria com empresários.

Huck e o empresário Eduardo Mufarej (sócio da Tarpon Investimentos e presidente da Somos Educação) fazem parte de um grupo de empresários que criou o FundoRenovaBR, que visa possibilitar bolsas de estudo para pessoas que tenham interesse em ser candidatos ao Legislativo nas eleições de 2018, segundo informações da Isto É. O grupo teria a intenção de tentar eleger de 70 a 100 deputados federais na próxima eleição.

Ainda segundo a publicação, o deputado Jorge Solla (PT-BA) quer a suspensão do Fundo Cívico Para a Renovação da Política. O parlamentar enviou à Procuradoria-Geral da República, comandada por Raquel Dodge, um requerimento onde pede que sejam apurados os “reais objetivos do grupo” e que também “seja expedida determinação pela imediata suspensão da criação do Fundo Cívico, direcionada aos seus idealizadores”.