Solidariedade é o sentimento de teresinenses na ajuda de refugiados venezuelanos para seguirem suas vidas diante de todo o terror que passaram em seu país de origem.

“A situação estava ficando ainda pior, e vai ter um momento que não vai mais ter dinheiro para alimentar os nossos filhos, e tivemos que ir, as coisas estavam ficando muito feias”, disse a mãe de duas crianças em reportagem ao Bom Dia Piauí, da TV Clube.

Uma família de venezuelanos vem recebendo ajuda através de um projeto idealizado por estudantes, o Aibofonex, oposto de Xenofobia, que tem o objetivo de usar a causa de refugiados para conscientizar a população.

Com essa iniciativa os alunos conversaram com diretores do colégio e perceberam que havia uma vaga para uma família que quisesse ficar como caseiros em um sítio localizado na zona sudeste de Teresina.

O resgate em Boa Vista (RR), aconteceu em um centro de refugiados, já o encontro ocorreu aqui no Piauí. Hospedados no sítio, o projeto também auxilia através da integração da família, por meio de eventos que são realizados no local pela escola.

“A nossa sociedade, o nosso mundo está ferido e nós precisamos de pessoas que cuidem, homens e mulheres não são só aqueles que cuidam da saúde física, psíquica e espiritual, são aqueles que cuidam de quem está no seu entorno, independente de onde estão, que sejam capazes de fazer o bem” disse o Professor Vicente Zorzo, diretor da escola em reportagem ao Bom Dia Piauí.

Dados do Governo Federal apontam que somente nos últimos dois meses mais de 27 mil venezuelanos cruzaram a fronteira por Roraima, desde 2015 são mais de 75 mil venezuelanos que pediram abrigo em nosso país.

A situação da população do país vizinho é acompanhada com desconfiança por parte dos brasileiros causando confrontos e mais tristezas, já outra parcela de esperança, trata com compaixão a causa de pessoas simples, que assim como nós, só quer um lugar seguro para ficar.

(*) 180graus