O renomado escritor e poeta piauiense Herculano Moraes, falecido aos 73 anos às 17h30min de ontem, Quinta-feira, 17 de Maio de 2018 em Teresina-PI; foi enterrado às 11h30min desta Quinta-feira, 18 de Maio, no Cemitério Parque Jardim da Ressurreição, na capital piauiense.

Centenas de amigos e fãs do escritor e poeta lotaram a Casa de Velório Pax União, onde discursos dos mais emocionados foram feitos a todo instante por escritores, poetas, intelectuais e fãs de Herculano Moraes. Por volta das 10 horas da manhã desta Sexta-feira, ao ser anunciado pelo cerimonial o fechamento da urna funerária para destiná-la ao cemitério, um grupo de escritores e fãs pegou nas alças do caixão e o levou a pé até a sede da Academia Piauiense de Letras, que fica a cerca de 100 metros do local onde o corpo estava sendo velado. Na sede do sodalício do qual Herculano Moraes é membro,  recebeu mais homenagens.

Da Academia Piauiense de Letras cerca de 100 automóveis seguiram em cortejo pela Avenida Frei Serafim, Avenida João XXIII, Avenida Mirtes Melão, até chegar ao Cemitério Parque Jardim da Ressurreição, onde o cerimonial mais uma vez facultou a palavra e ouviu-se belos e emocionados discursos de escritores e poetas.

Precisamente às 11h30min a urna funerária com o corpo de Herculano Moraes desceu ao jazigo sob forte comoção dos presentes e calorosas salvas de palmas acompanhadas de uma chuva de flores sobre o caixão.

A reportagem do portal de notícias Tribuna do Nordeste esteve presente tanto na Casa de Velórios Pax União como na Academia Piauiense de Letras e no Cemitério Parque Jardim da Ressurreição, responsável que é pelas imagens desta matéria.

A imagem pode conter: 4 pessoas, área interna

Durante o velório uma bandeira e uma camisa do River Atlético Clube, agremiação de futebol que Herculano Moraes presidiu, foram colocadas sobre o corpo do poeta e escritor

A imagem pode conter: 5 pessoas

Já no Cemitério Parque Jardim da Ressurreição o escritor e poeta Dílson Lages Monteiro, membro da Academia Piauiense de Letras, proferiu belo e rico discurso como última saudação a Herculano Moraes.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e pessoas sentadas

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, céu, nuvem, atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, céu, árvore, nuvem, atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, céu e atividades ao ar livre

Dezenas de coroas de flores foram enviadas por escolas, instituições públicas estaduais e federais, amigos e fãs do poeta

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: 7 pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre

Abaixo leia uma breve biografia do escritor e poeta Herculano Moraes da Silva Filho

Nascido na cidade de São Raimundo Nonato-PI, em 03 de Maio de 1945, era filho do sargento da Polícia Militar do Piauí Herculano Moraes da Silva, delegado de Polícia do município, e da dona de casa Olindina Carlos da Silva, ambos já falecidos. Seu pai faleceu quando tinha apenas seis meses de vida.

Herculano Moraes abraçou cedo a profissão de jornalista, exercendo durante sua carreira as funções de repórter, redator e editor dos principais jornais do Piauí. Começou como repórter de polícia no Jornal A Voz do Piauí. Atuou no Jornal do Piauí e no jornal O Liberal.

Foi secretário de redação e editorialista dos jornais O Estado, Diário do Povo e Correio do Piauí. Foi, ainda, repórter, redator, editorialista e editor do Jornal O Dia.

Atuou também no rádio, como produtor do jornal A Voz da Notícia, noticioso da Rádio Clube de Teresina.

Desportista, foi presidente do Metropol, time de futebol da juventude, e da Liga Esportiva da região sul. Foi vice-presidente do Auto Esporte e presidente do River Atlético Clube, agremiações do futebol profissional de Teresina.

Na política, além de ter ocupado os cargos de vereador de Teresina e de secretário de Estado de Comunicação Social no Governo Lucídio Portella, foi também assessor especial no Governo de Francisco de Assis de Moraes Sousa (o Mão Santa).

Foi diretor do Teatro 4 de Setembro, da Casa Anísio Brito e do Museu Histórico do Piauí. E, em reconhecimento pelos relevantes serviços prestados, recebeu títulos de cidadania nos municípios de Barras-PI, Campo Maior-PI e Teresina-PI.

O poeta é citado em inúmeras antologias nacionais. Historiador da literatura, cronista, articulista, autor de várias obras, em que se destacam “Murmúrios ao Vento”, “Território Bendito”, “Meus Poemas Teus”, “Legendas” (Poesias) “Ethos” (crônicas e artigos), “Fronteiras da Liberdade” (romance) e, ainda, “Visão Histórica da Literatura Piauiense”, livro referencial da historiografia literária, que está em sua 8ª edição.

Era presidente honorário da Academia Piauiense de Jornalismo e presidente de honra da Academia Piauiense de História. Secretário da Academia Piauiense de Letras e da Academia de Letras do Vale do Longá. Membro ainda da Academia Piauiense de Futebol, Academia de Ciências do Piauí e Academia de Letras do Médio Parnaíba e da União Brasileira de Escritores – UBE-PI.