A exemplo do seu amigo governador do Piauí, Wellington Dias (PT), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), está sendo acusado nas redes sociais de estar “fazendo farra com dinheiro público” nessa época de tanta dificuldade devido a propagação do Coronavírus, além do seu estado ser o mais pobre do Brasil.

Mesmo reclamando da falta de recursos e da escassez de insumos no combate ao Coronavírus, o Governo do Maranhão irá gastar R$ 1 milhão em buffet para eventos. O contrato foi celebrado com a Visão e Perfil Assessoria, Eventos e Serviços no dia 27 de Março, quando os o estrago causado pela pandemia já era de conhecimento de todos.

Quatro dias após a assinatura, o governador Flávio Dino foi acionado pelo Ministério Público por desviar recursos do Fundo do Idoso para o combate da Covid-19 do Estado.

De acordo com as informações divulgadas, o orçamento teve o aval do secretário-adjunto de Marketing e Mídias Sociais da Secap, Marco Aurélio Pereira Oliveira. A empresa contratada é dos sócios Jorim Wanderley Ithamar e Renata Wanderley Ithamar e fica localizada em São Luís.

Na Ação, o Parquet questiona os motivos pelos quais Dino não realoca verbas destinadas a publicidade e outros serviços não essenciais para a saúde, ao invés de usar o dinheiro dos idosos para tratar os infectados pela doença.

Veja abaixo o que o governador do Piauí, Wellington Dias, do PT, também está fazendo. O Piauí é o terceiro estado mais pobre do Brasil, perdendo apenas para o Maranhão e Alagoas.

Com a maioria da imprensa calada em virtude das parceiras comerciais, que impedem o jornalismo sério, o governador Wellington Barroso de Araújo Dias, do PT, está sendo acusado nas redes sociais devido ao “uso indevido” de dinheiro público em nome de uma realidade de pandemia que não existe no Piauí.

Até agora o Governo do Piauí gastou R$ 156 milhões no combate ao coronavírus, mas não detalhou como. O que se sabe é que está faltando ainda quase tudo nos hospitais do Estado para atender os doentes de Covid-19, inclusive Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os profissionais de saúde.

Outro fato que chama atenção é que o governador Wellington Dias alugou dezenas de carros dizendo que são para combaterem o Coronavirus e ainda pediu a Assembleia Legislativa autorização para fazer um empréstimo de R$ 500 milhões, dinheiro, segundo ele, para ser usado no combate ao Covid-19. Além disso o Governo do Piauí alugou 10 ambulâncias por 1 milhão e 100 mil reais.

O Ginásio Dirceu Mendes Arcoverde, em Teresina, foi passado pelo governo para iniciativa privada através das chamadas parceiras públicas/privadas e em seguida alugado pelo Estado por R$ 30 mil para tornar-se um hospital de campanha.

Por último o governador petista do Piauí comprou uma página na Folha de São Paulo por R$ 400 mil para anunciar isenção fiscal e medidas para combater o Covid-19 no Estado. A Folha de São Paulo, como a Rede Globo, devido não mais receberem os milhões de reais mensais como acontecia nos governos de Lula e Dilma Rousseff (do PT), passaram a atacar o presidente Jair Boslonaro, tornando-se “as meninas dos olhos” dos governos que fazem oposição ao Presidente da República

Veja abaixo a realidade dos hospitais do Piauí até 10 de Abril de 2020.

• Leitos clínicos: 847
• Ocupação: 53 (6,26%) – se considerada apenas Teresina: 7%

• *Leitos de UTI: 148
• Ocupação: 22 (14,86%) – se considerada apenas Teresina: 15%

• *Leitos de estabilização: 26
• Ocupação: 0 (0%)

Não há portanto, qualquer sobrecarga no sistema de saúde do Estado do Piauí.

Falando a reportagem do Tribuna do Nordeste, o analista político baiano Jeová Gouvêia, disse: “Os governos nordestinos como os governos de São Paulo e Rio de Janeiro, tornaram o Coronavírus um aliado político para puxarem dinheiro do Governo Federal através do SUS. Por conta disso fabricam casos de Covid-19 e investem dinheiro nos meios de comunicação que antes do Governo Bolsonaro faziam festa com dinheiro público. Outro fator que podemos avaliar é que 2020 é ano de eleição, fazer um caixa dois para agradar os candidatos a prefeito e vereador que são aliados, é mais que obvio. Devido a situação de saúde pública não é necessário os governos fazerem licitações, daí os maus políticos e administradores públicos estão se aproveitando da situação para assaltarem os cofres da Nação”, finalizou.

Tribuna do Nordeste