Antes de entrar em campo, com o time profissional do River Atlético Clube na estreia da Série D do Campeonato Brasileiro 2020, o zagueiro Geovani (natural de São Raimundo Nonato-PI) e o lateral-esquerdo João Vitor (natural de Angical-PI), tiveram que cantar e dançar. O “trote” realizado entre atletas do Tricolor Piauiense foi uma forma de coroar, batizar, a primeira vez dos dois em uma partida com elenco profissional.

A partida contra o Sinop-MT foi muito além da vitória por 2 a 0. Ela acabou importante porque mostrou um trabalho constante feito nas categorias de base do Galo. Com problemas na escalação, sem quatro titulares, o técnico Flávio Araújo usou atletas feitos no Poleiro do Galo. Dos 19 relacionados, 5 saíram da base: o lateral Daniel Bagaceira, o zagueiro Geovani (titulares na partida); o lateral João Victor, o goleiro Vinícius e o volante João Paulo, esse já veterano, mas também é produção do Centro de Treinamento do River.

Ou seja, 28% de quem esteve jogando contra o Sinop Futebol Clube no Estado do Mato Grosso é “made in Galo Carijó”. A formação desses atletas revela um projeto realizado no Centro de Treinamento, que vem dando frutos ao River desde 2018, segundo o coordenador da base, Danilo Félix..

– Estamos fazendo um trabalho constante já. Temos um número bom de atletas com nível. Sempre que o profissional precisa de atletas para determinadas posições que eles acham necessárias, eles entram em contato e pedem indicações. Além disso, tem os destaques. Os que vão se destacando nos treinos e competições do sub-19 já observam e convidam. Vão subindo de categoria – relatou Danilo Félix.

(*) Com informações e foto do Globo Esporte

Tribuna do Nordeste