Com as fortes chuvas registradas nos últimos dias, açudes em Quiterianópolis, no Ceará, vieram a sangrar e romperam com as paredes de contenção das águas, causando prejuízos a população. Pelo menos 100 famílias foram afetadas com o arrombamento dos reservatórios. Houve desabamento em 10 prédios – entre casas, bares e comércios – e as vilas Caeiras, Alegre e São Miguel foram inundadas. Três pessoas estão desaparecidas.

Outras vilas afetadas pelo rompimento das barragens foram Cacimbas, São Francisco, e Santa Rita. Essa última, de acordo com o secretário de Governo Epaminondas Bezerra, está com acesso inviabilizado, e pelo menos duas mil pessoas estão ilhadas na comunidade. A estrada que liga Quiterianópolis a Novo Oriente também está bloqueada pelo avanço das águas. Segundo Epaminondas, ainda não há vítimas registradas, no entanto, três pessoas seguem desaparecidas. Também foram suspensas as aulas nas escolas de Quiterianópolis, e os prédios serão usados para abrigar as famílias desalojadas. O Corpo de Bombeiros já está no local.

Os reservatórios que tiveram a barragem rompida pela alto volume de águas foram os açudes de São Pedro Velho, Desterro, Santa Rita e Pontal. “Estamos aguardando a Defesa Civil chegar, mas como Fortaleza fica a 420 km de Quiterianópolis, ainda vai demorar um pouco. Por enquanto, estamos fazendo levantamento e monitorando os açudes que estão em risco de arrombar”, detalha o secretário Epaminondas. Segundo ele, foi criado um comitê para avaliar as ações a serem tomadas.

A prefeitura aguarda helicópteros da Defesa Civil para ter acesso às localidades que foram isoladas pelo alagamento no município. De acordo com Epaminondas, a lâmina do sangradouro do açude Colinas está com altura de 1.5 metro em volume de água. A população de Quiterianópolis está mobilizada com os trabalhos de limpeza das regiões, na tentativa de aumentar o sangradouro e evitar que outras barragens venham romper, segundo relata o secretário de Governo.

Tribuna do Nordeste