Juarez Rocha estava a 160 Km e dizia que iria morrer em acidente automobilístico

 Juarez Rocha estava a 160 Km e dizia que iria morrer em acidente automobilístico
A Polícia Rodoviária Federal está fazendo as investigações em torno do acidente que matou o médico barrense Juarez de Carvalho Rocha, de 60 anos, ocorrido na tarde da última Sexta-feira (13), na BR-343, entre as cidades de Altos e Campo Maior, no norte do Piauí.  O policial rodoviário, Aguinel Rocha, que atendeu a ocorrência, acredita que o “Rei da Melancia” tenha sofrido um mal súbito.
Aguinel disse que testemunhas que estava no local afirma que viram quando o carro do médico desgovernou na estrada e invadiu a pista contrária repentinamente e que o motorista da carreta ainda tentou desviar da caminhonete conduzida por Juarez, mas a colisão foi inevitável e os dois veículos se chocaram frontalmente no acostamento da BR.
“ Pela nossa experiência nesse tipo de acidente se conclui que o médico sofreu um mal súbito e perdeu o controle do carro, já que o automóvel saiu invadindo a pista em curva”, comentou o policial.
Juarez Rocha havia saído de Teresina há pouco tempo antes do acidentes. Ele tinha saído de Barras para ir a Capital fazer uma visita a sua octogenária mãe, professora Maria de Jesus de Carvalho Rocha, que encontra-se numa UTI de um hospital de Teresina. Com assuntos relacionados ao seu trabalho a serem tratados em Campo Maior ele iria usar a rota Teresina/Altos/Campo Maior/Cabeceiras do Piauí para chegar à Terra dos Governadores.
No velório, ocorrido na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Barras, amigos e familiares comentavam sobre o gosto de Juarez por carros potentes e sua quase costumeira ação em andar em alta velocidade. Um dos familiares falando ao tribunadebarras.com disse que o “Rei da Melancia” costumava dizer que “achava que ainda iria morrer de acidente automobilístico”.
160 quilômetros
A polícia Rodoviária Federal não falou sobre a velocidade que dirigia o empresário Juarez da Rocha Carvalho, 60 anos, que morreu na tarde desta sexta feira, depois de uma batida frontal com uma carreta Bitrem, placa KIS-2450, Bezerro-PE, carregada de cerâmica. Juarez Rocha dirigia uma F-250 placa NHU-9380.
Um motorista que estava no local e não quiz se identificar disse que o empresário  passou seu carro a uma velocidade de aproximadamente 160k/h. “Assim que passamos da cidade de Altos este carro passou por mim que quase nem percebi de tão rápido. Vinha a uns 160km por hora”
Linque para matéria relacionada no Tribuna de Barras: http://www.tribunadebarras.com/2013/12/morre-o-medico-juarez-rocha-maior.html

Sobre a morte de Juarez Rocha, manifestou-se em sua página pessoal numa rede social o professor Manoel Monte Filho, imortal da Academia de Letras do Vale do Longá: “Sobre a perda de Juarez de Carvalho manifestou-se em sua página pessoal numa rede social o professor Manoel Monte Filho, imortal da Academia de Letras do Vale do Longá: Uma tragédia enlutou Barras. Foi-nos subtraída ontem (13.12.2013) a vida do JUAREZ ROCHA (Juarez de Carvalho Rocha). Filho de tradicional família barrense: Edmar de Carvalho Rocha e Maria de Jesus Carvalho Rocha. Médico formado pela Universidade Federal do Ceará. Fez pós-graduação em Ultrassonografia tendo iniciado a sua vida profissional na Clínica Lívio Parente em Teresina. Seu amor por Barras e pelo campo fez com que ele optasse por ser um empresário, transformando-se em pouco tempo no maior produtor de melancia do Piauí e de todo o Nordeste. Destacava-se pela educação refinada, fineza no tratar as pessoas, íntegro, justo com seus funcionários e, principalmente, homem voltado para o trabalho e para a família. Casado em duas núpcias. Deixa esposa (Janaína) e filhos. Perde Barras um filho ilustre, perde Barras um grande empreendedor e perde Barras um empresário proativo. Ficam, o exemplo e a saudade. Junto-me ao pranto de nós barrenses”.

Diego Albert

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *