Os indicadores turísticos de Teresina revela que 58% dos  passageiros embarcados na capital piauiense são turistas. Os números foram divulgados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec). 

Os dados são animadores. O turismo em Teresina em 2019 cresceu cerca de 105% movimentando mais de R$ 418 milhões. 

Quatro estados brasileiros são os principais emissores de turistas para Teresina: São Paulo, que é o principal, com 28,5%, seguido por Brasília (14,9%), Ceará (14,1%), Maranhão (10,3%) e Rio de Janeiro (7,6%). Além disso, Portugal e EUA são os países que mais enviam turistas para Teresina, ambos com 33,3% do fluxo.

Do total destes números apresentados, 52,4% dos turistas que chegam à capital são motivados por negócios e 27,0% para visitar amigos e parentes.

Para o coordenador de Turismo da Semdec, Eneas Barros os números ajudam os investidores a consolidarem seus estudos de mercado, trazendo-os para uma realidade mais visível”.

“O setor de turismo está se qualificando e fazendo um diagnóstico de sua própria realidade. Estes dados são monitorados pela Semdec e mostram uma experiência bastante realista do que acontece em Teresina no setor do turismo. Tivemos uma queda em 2018, mas em 2019 já percebemos essa recuperação. Isso é decorrente, basicamente, da recessão que o Brasil viveu e que sofremos, principalmente, em 2018. Este estudo é importante para perceber também o efeito dos eventos na nossa cidade, como por exemplo o Corso e a Micarina, entre outros”, ressaltou o prefeito Firmino Filho.

Segundo o secretário da Semdec, Venâncio Cardoso, o turismo de Teresina precisa de dados e linha de atuação forte para que se desenvolva. Além disso, ele destaca que o setor tem se mantido superavitário.

“Teresina tem turismo sim, e Teresina tem um turismo especificamente voltado para eventos e negócios. Para desenvolver uma gestão com planejamento e estratégias é importante que tenhamos números e linha de atuação forte e centrada. É importante pontuarmos aqui hoje que o turismo de Teresina é superavitário, ou seja: o que o teresinense gasta lá fora, quando viajam, é bem menor do que o gasto do turista que vem a Teresina. Isso é extremamente positivo para a cidade”, destacou o secretário.

(*) Com informações da Semdec

Nenhuma descrição de foto disponível.