Conduzido por pacientes que estiveram em sua casa denunciando falta de atendimento no Hospital Leônidas Melo, casa de saúde de responsabilidade administrativa do Governo do Piauí, o vereador José de Deus Carcará Filho esteve no hospital na noite desta terça-feira, 17 de Setembro de 2019, para identificar o que estava acontecendo. Ele relata que ao chegar na casa de saúde foi informado que a médica Alessandra, única de plantão, estava no repouso, mas que informara que não iria fazer atendimento.

Diante do inusitado da situação, o vereador conta que foi pessoalmente investigar da profissional o motivo daquela decisão, tendo em vista que ela era a médica, estava de plantão e havia pacientes a serem atendidos. “O que mais me surpreendeu foi a alegação da médica. Ela disse para mim que não iria atender porque estava com 5 meses de salários atrasados”, conta o vereador.

O vereador disse que se apresentou como parlamentar, representante da população e questionou a alegação da médica. “Se ela não quisesse atender as pessoas, que não viesse para o hospital ou então que ela se demitisse. Não é admissível que ela esteja lá, assine o seu plantão e se recuse a atender os pacientes. E se alguém morrer aqui no hospital de quem será a responsabilidade, de quem não lhe pagou ou dela, que é a profissional responsável pelo plantão?”, questionou.

Carcará ficou no hospital e só se retirou quando a médica começou a atender os pacientes por volta das 20 horas. “O vereador é fiscal do serviço público e eu estava lá representando o meu papel, cumprindo a minha obrigação. A médica é que não estava cumprindo a sua. Ela disse vai registrar um Boletim de Ocorrência contra mim e eu vou representar também o hospital no Ministério Público”, destacou.

No hospital deveriam ter dois profissionais de plantão., mas por questões financeiras está funcionando com um plantonista apenas.

Através de nota, a diretora do Hospital Leônidas Melo, Laianne Santos, manifestou repúdio contra  “a atitude de um cidadão que, na noite deste dia 17 de setembro, invadiu esta unidade de saúde e incitou populares contra profissionais do hospital, causando tumulto e pânico entre servidores e pacientes.
O Hospital está em pleno funcionamento e seus servidores buscam atuar com respeito às normas e regulamentos do bom atendimento ao público.
A Direção do Hospital manifesta sua solidariedade aos servidores e também a Profissional Médica que foi constrangida no exercício de sua atividade laboral e de seus direitos regulares de colaboradora desta Unidade de Saúde.
Providências jurídicas serão tomadas e a Direção do Hospital reafirma o compromisso com o bom atendimento do povo de Barras e de toda a região”.

(*) Fonte e fotos: portal Longah