Centenas de pessoas, incluindo o dono da equipe de futebol americano New England Patriots, Robert Kraft, compareceram ao funeral de Sam Berns, adolescente que se tornou conhecido nos Estados Unidos por sua luta contra uma rara doença conhecida como progeria ou síndrome de Hutchinson-Gilford, que causa envelhecimento precoce. Na última sexta, o adolescente morreu “de velhice” aos 17 anos, em decorrência da enfermidade.


Diagnosticado com pouco menos de dois anos, Berns superou em muito a expectativa de vida de um portador de progeria, que dificilmente ultrapassa os 13 anos. Em 1999, seus pais, ambos médicos, criaram uma fundação para estudar possíveis causas para o erro genético, que seguem incertos.


Apesar das dificuldades, o jovem dava palestras motivacionais e gravou, em 2013, o documentário Life According Sam (A Vida Segundo Sam, em tradução livre), produzida pelo canal HBO, no qual concedeu entrevistas extremamente positivas, se dizendo uma pessoa feliz e agradecendo aos amigos e família pelas boas experiências que teve.



A amizade com o dono do New England Patriots veio após o documentário. Considerado uma inspiração, o garoto foi convidado para acompanhar os jogadores em partidas e era lembrado com dedicatórias dos atletas após bons resultados. 

No último sábado, a equipe promoveu um minuto de silêncio antes de uma partida pela NFL. 


(*) Terra