Milhares de brasileiros das mais diferentes correntes políticas foram às ruas, neste domingo, 7 de Abril de 2019, em todo o país, em uma série de atos e manifestações. De um lado, grupos de direita defenderam a Operação Lava Jato, o presidente Jair Bolsonaro e comemoraram a prisão do ex-presidente Lula, que completou um ano. Do outro lado, grupos de esquerda protestaram contra a prisão do petista. Em alguns estados, como São Paulo, houve tumultos, xingamentos e brigas entre os manifestantes.

As convocações para os atos a favor da Lava Jato foram feitas pelo Movimento Brasil Livre e outros grupos. Em Salvador, a concentração começou no Farol da Barra, por volta das 10h. Com cartazes e bandeiras do Brasil, os  manifestantes pediam também o “impeachment do STF”. “Eu vim para ajudar o Brasil porque chega de corrupção,  a gente vê muita impunidade  e não é esse o legado que quero deixar para minha filha e para os descendentes dela. Eu quero mudança”, diz a assistente administrativa, Acioli Oliveira, 40 anos que estava acompanhada da filha.

Segurando uma bandeira do Brasil e vestida de verde e amarelo, a  agente de importação, Darcy Monteiro, 61 anos,  gritava “Fora STF”.  “Estamos muito infelizes com essa politica do Supremo”, afirmou.  Ela disse que acompanha as manifestações alinhadas com o movimento político da direita desde o movimento pró-impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff.

Além de Salvador, os atos a favor da força-tarefa da Lava Jato e contra o STF ocorreram em pelo menos 12 cidades do país e no Distrito Federal.

Em nota, o STF informou entender “que manifestações como as de hoje são naturais em uma democracia consolidada, como a do Brasil, garantidas pela Constituição  e já reafirmadas em diversas oportunidades pelo próprio STF”.

Defesa de Lula
Já as manifestações a favor do ex-presidente foram registrados em ao menos nove cidades do país. A convocação foi feita pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Em Salvador, os apoiadores de Lula se reuniram durante a tarde no Campo Grande. O protesto seguiu pelas ruas do centro até a Barra. Vestidos de vermelho, com mascaras com o rosto de Lula e faixas com  “Lula Livre”, os manifestantes pediram a libertação do ex-presidente.

“A presença da população na rua é em defesa de um Brasil Livre. O Brasil está sendo entregue ao capital estrangeiro e Lula representa a esperança de mudança”, afirmou  o técnico de enfermagem, Ueles Abbud.

Também presente no ato em defesa de Lula, a advogada e integrante da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados da Bahia (OAB-BA), Joelma Almeida afirmou que o movimento pela liberdade de Lula é uma reafirmação do pleno exercício da democracia.  

Em São Paulo, dois grupos de manifestantes, um pedindo que o ex-presidente Lula seja solto e outro em apoio à  Lava Jato, fecharam a Avenida Paulista . Houve confusão e brigas  entre os participantes quando os dois grupos se encontraram.

(*) Correio da Bahia