Um jovem de 24 anos foi preso na última Sexta-feira, 15 de Junho de 2018  por estupro de vulnerável em Cajueiro da Praia, cidade do litoral do Piauí. Segundo o delegado Maikon Kaestner, a “vítima” tem 13 anos e tinha um caso amoroso com o rapaz – relacionamento que antigamente se chamava de “namoro”, mas com a chegada da vida sexual entre os pares, o “namoro” deixou de existir e passou a ser um “caso”.

“A adolescente saiu de casa falando que iria morar com do rapaz que ela chama de “namorado”, sendo ele maior de idade. A mãe procurou o Conselho Tutelar e acionou a polícia sobre o caso. Ao chegar na casa do cidadão, ele confirmou manter relação sexual com a menor e sabia que ela tinha 13 anos, mas desconhecia que era “crime”. Diante da confissão, foi dada a voz de prisão dele”, informou o delegado.

Conforme o delegado, apesar da relação ter sido concedida pela adolescente, o caso foi caracterizado como “estupro” de vulnerável pela idade da vítima. O jovem preso foi encaminhado para a Central de Flagrantes em Parnaíba-PI e deve passar por audiência de custódia na Segunda-feira (18).

Foi estupro?

Para a lei feminista sancionada no governo também feminista de Dilma Rousseff, do PT, é “estupro”. No pé da letra estupro é quando você força alguém a transar com você. No caso em epígrafe a garota transava com o rapaz por livre e espontânea vontade, chamava o parceiro até de “namorado”. Onde está o estupro, portanto? Lei caduca, feminista e literalmente “irresponsável” e que deve ser mudada. No caso, a grande vítima foi o cidadão de 24 anos! Jair Bolsonaro já disse que se for eleito Presidente da República Federativa do Brasil irá mudar essa lei, que para ele também “é feminista, discriminatória e opressora ao homem”.