O promotor de justiça, Eliardo Cabral, informou hoje no telejornal Notícia da Manhã, da TV Cidade Verde/SBT,  que a investigação do caso da estudante barrense Fernanda Lages Veras irá continuar e apontou um novo suspeito.

“Estou esperando apenas que algumas pessoas tenham a coragem de assinar as declarações. Vou dizer em breve quem é. O sujeito está na Bahia com a cara cheia de botox e calça 42. O vigilante da Servisan viu Nayrinha sentada, Fernanda e um sujeito em pé, de costas. Ele viu até os tênis nos pés do sujeito”, afirmou o promotor, referindo-se aos calçados de um homem que supostamente teria entrado na construção do MPF, com a estudante momentos antes do corpo ser encontrado. 

Promotor relembra que o vigia Domingos, em seu primeiro depoimento, relatou que uma pessoa – que não conseguiu identificar se era homem ou mulher – acompanhou a estudante ao entrar no prédio. Também em depoimento ao Ministério Público o coronel Almeida relatou ter visto marcas de um tênis da marca Olympicus tamanho 42 no local do crime. 
Eliardo afirmou que o delegado Freitas, da PF, apresentou na última terça-feira (18), em reunião com o juiz Antonio Noleto, que acompanha o inquérito, um documento que desautorizava a PF a entrar no caso. “Se for assim, por que fizeram? Se foi assim, eles virão explicar por que estão fazendo. Eles estavam fazendo o quê lá, então? Esse relatório cairia por terra”, questiona.

Eliardo afirma que espera o retorno do promotor Ubiraci Rocha, em viagem a São Paulo, e o envio do relatório oficial da PF para decidirem se pedirão novas diligências. O caso poderá voltar para o 5º DP.
“Eles podem ter o poder do dinheiro, poder da política, que pode muito, poder de influência, que pode muito. Mas meu Deus vai arrancar do oculto e do secreto os nomes dos assassinos de Fernanda Lages e mostrar para a sociedade. Jamais sairei desmoralizado, até porque estou sustentando uma tese verdadeira de que Fernanda Lages não cometeu suicídio, muito menos brincou de fazer gestos de equilíbrio naquela mureta”, declarou. 
(*) Leilane Nunes, Yala Sena
Carlos Lustosa Filho, Cidade Verde