Cabeceiras do Piauí (PI) – O Município de Cabeceiras do Piauí está literalmente parado. Muitos culpam a administração pública municipal pelo caos que se transformou especialmente a cidade, devido a falta do pagamento de obrigações financeiras por parte do gestor do Município.


Lixo se acumula nos logradouros públicos devido ao não pagamento às varredoras de rua e aos donos dos carros que colhem o lixo, ônibus escolares deixaram de circular por falta de pagamento aos postos de combustíveis que fornecem gasolina e óleo, dentre outras aberrações que colocam a administração do prefeito Zé Belim em questionamento perante a opinião pública. Os estudantes que necessitam dos ônibus para se locomoverem até as unidades escolares onde estudam estão indo à pé ou deixando de comparecer as escolas.


A situação de abandono em que se encontra a Unidade Escolar Professora Rosinha Barros, no Bairro Nova Brasília, também chama atenção. A escola da rede municipal de ensino está literalmente abandonada, com parte do teto caído e o local onde seria para promover a educação de crianças e adolescentes está servindo, segundo denúncias de populares, para alguns viciados usarem drogas e para prática de relação sexual de algumas pessoas de “vida livre”. A Unidade Escolar Professora Rosinha Barros não é nem murada, apenas estacas com arame farpado circulam o colégio. É bom lembrar que recursos federais chegam às contas da Prefeitura de Cabeceiras todos os meses para serem destinados exclusivamente a educação. Daí muitos perguntam: o que estão fazendo com esses recursos federais se uma escola localizada num dos maiores bairros da cidade encontra-se em total situação de abandono? Somente o prefeito pode responder.