A Coordenadoria de Polícia Pacificadora do Rio de Janeiro apura quais foram os policiais responsáveis por entregar suas armas para que uma mulher brincasse de tirar fotos pornográficas. A jovem, de 23 anos, vem sendo chamada de Maria UPP. Sem se identificar, policiais revelaram que a morena costuma frequentar as bases das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) a fim de seduzir e se oferecer sexualmente aos agentes.
A morena tatuou a sigla UPP um pouco acima da vagina, entre tantas outras tatuagens. Ela posou com a pistola de um PM e um relógio sobre a barriga.
Ainda segundo policiais militares, a mulher não se importa de ser fotografada após ter relações sexuais com os PMs e leva uma vida vadia na região.
A garota de programa vestiu a farda da Polícia Militar e segurou um fuzil. Os policiais responsáveis pela brincadeira correm o risco de serem expulsos da corporação.
Com fixação por policiais, “Maria UPP” posa com armas de policiais militares e fotos vazamCom fixação por policiais, “Maria UPP” posa com armas de policiais militares e fotos vazamCom fixação por policiais, “Maria UPP” posa com armas de policiais militares e fotos vazamCom fixação por policiais, “Maria UPP” posa com armas de policiais militares e fotos vazam
(*) Terra