TERESINA (PI) – Relacionado desde o inicio das investigações como “peça” das mais importantes na investigação para esclarecer a morte da estudante de direito e comerciária Fernanda Lages Veras, de 19 anos, nascida na cidade de Barras/PI, cujo corpo foi encontrado ao amanhecer do dia 25 de agosto de 2011 no pátio posterior do prédio em acabamento do Ministério Público Federal, na avenida João XXIII, em Teresina, o vigia Domingos Pereira da Silva, 54 anos, foi interrogado na última quarta-feira (30), à tarde, em sua residência, por dois agentes da Polícia Federal, instituição que retomou as investigações por determinação do Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo.


O vigia é empregado da Vanguarda Engenharia, construtora de propriedade do engenheiro civil Jivago Castro Ramalho (foto ao lado), que provavelmente também será ouvido, estava prestes a encerrar seu serviço naquele final de madrugada, quando diz ter visto uma “mulher ou um travesti” entrar pelo portão da obra do Tribunal Regional do Trabalho edificada ao lado da construção do prédio do Ministério Público Federal que foi o destino final da garota que veio para Teresina para estudar mais vivia muito de festas.
Domingos assegura que viu apenas uma pessoa, mas há alguns pontos que não ficaram completamente esclarecidos. Os federais, segundo apurou este repórter, fizeram novas abordagens quando estiveram na sua casa na última quarta-feira, mas o vigia não quis fornecer detalhes sobre as novas perguntas a que respondeu.
O vigia Domingos Pereira da Silva
Dentro das próximas horas Domingos comparecerá à superintendência da Polícia Federal, em Teresina, quando prestará um depoimento oficial à equipe que foi montada com a finalidade de rasgar definitivamernte a grossa capá de mistério que envolve a morte de Fernanda.
Todos serão ouvidos

Há quase um mês pelo menos, dois agentes da PF já faziam levantamentos em torno da morte de Fernanda. Embora não tenha sido divulgada, mas a Superintendência no Piauí tem nos seus quadros profissionais com experiência em crimes dessa natureza. Foram eles que adiantaram o trabalho e alguns resultados serão analisados pelo comandante da investigação.

As principais “peças” da investigação conduzida pela Polícia Civil do Piauí serão ouvidas. Sabe-se que a PF já relacionou Nayra Veloso, a “Nairinha”, filha da cidade de Valença do Piauí, como uma das mais importantes. Os depoimentos devem ser tomados a partir de segunda-feira (5 de Dezembro).

(*) João Carlos Guimarães