Teresina (PI) – A Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente pediu prisão preventiva de uma estudante de 20 anos acusada de espancar sucessivas vezes a própria filha de apenas um ano e três meses. A criança foi internada no Hospital Infantil com fraturas no braço, ombros e pernas. É um crime que chocou até os conselheiros tutelares que acompanham o caso.

Foto: Yala Sena
Delegada Marcela Sampaio acompanha o caso

O pai da criança registro Boletim de Ocorrência na delegacia. Hoje, a delegada de Proteção à Criança e ao Adolescente, Marcela Sampaio alertou a mãe que ela estava proibida de se aproximar da filha. A criança está traumatizada e chora bastante.

O fato aconteceu no Bairro Cidade Leste. Segundo a delegada, o pai pegou a criança na sexta-feira (27) na casa da acusada e logo percebeu os hematomas.
“Ele levou a menina ao médico e ela ficou internada no Hospital Infantil durante o final de semana. Conversei com o pediatra e ele informou que há lesões antigas e que talvez a menina não possa caminhar por causa disso”, contou Marcela Lira.
A menina foi submetida a exames também no Instituto Médico Legal. De acordo com a delegada, a acusada já tinha histórico de agressão e a criança ficará sob a guarda do pai enquanto o processo estiver tramitando. “O pai assinou um termo junto ao Conselho Tutelar e a criança está sob responsabilidade dele e da avó. Já pedimos a prisão preventiva da mãe”, finalizou.
(*) Jordana Cury e Yala Sena, Cidade Verde, portal parceiro do Tribuna de Barras