TERESINA (PI) – A perícia do Instituto Criminalística do Piauí revela manchas no corpo da estudante de Direito filha de Barras/PI, Fernanda Lages, 19 anos, antes de ser assassinada. O laudo mostra também o local onde o corpo ficou após a queda, além das sapatilhas, chave do carro e fivela de cinto. O laudo, em que o Cidadeverde.com teve acesso, aponta os últimos passos de Fernanda e as impressões deixadas por ela na mureta do prédio do Ministério Público Federal no dia 25 de agosto. 




As imagens mostram, em detalhes, escoriações produzidas na face frontal da coxa direita, próximo a virilha, e também manchas vermelhas na coxa esquerda.

Na página 28 do laudo, aparecem três fotos, todas com manchas localizadas na cintura e quadril direito. Os peritos afirmam que as escoriações se devem ao aparelho celular (Nokia, modelo 16161) que se encontrava no bolso do vestido da vítima quando ela caiu. 


O laudo confirma ainda que novos exames foram feitos após analises da Polícia Federal. “Foram coletadas amostras de outras manchas identificadas, preliminarmente, como sangue, encontradas em paredes e degraus dos vãos das duas escadas do edifício e nos fios sobre o parapeito da mureta. 


O que diz sobre marchas da sapatilha

“Na parte superior do prédio, mais precisamente na laje de cobertura (6º pavimento), os técnicos identificaram evidências físicas associadas aos calçados (sapatilhas) da vítima impressas na parede da mureta do parapeito, de 1,30m de altura, no lado correspondente ao local aonde o corpo fora achado, ou seja, do lado oeste”…

… “Tratam de impressões visíveis, deixadas por atritamento/deslizamento na áspera superfície do reboco que havia sido recentemente pintado de preto, onde houve retenção de fibras de camurça dos calçados


No corpo de Fernanda tinha três piercings, um no lado esquerdo do nariz, na orelha direita e outro no umbigo.  

Mureta

O laudo afirma que no parapeito de 1,30 m foi encontrado um número mais expressivo de impressões da universitária. “Peritos encontraram dois tijolos cerâmicos de seis furos, posicionados um sobre o outro, tendo atrás de si marcas de arrastamento que iam até o outro conjunto (menor) de impressões, indicando remoção de um local para outro”.



No local, foram encontradas também marcas visíveis deixadas pelas sapatilhas de Fernanda. Há fibras de camurça e fragmentos de fios de algodão de coloração azul em dois pontos da mureta.

Os peritos de Brasília estão com os laudos e darão novo parecer. Segundo a Polícia, antes de morrer, Fernanda Lages, tinha oitos lesões no corpo.