A pesca de lagosta e camarão será proibida no litoral nordestino atingido por manchas de óleo a partir da próxima sexta-feira. A decisão do Governo Federal, publicada nesta terça-feira, 29 de outubro de 2019, no Diário Oficial, visa evitar consumo dos crustáceos contaminados.

A atividade pesqueira ficará suspensa nas divisas entre Alagoas e Pernambuco, Piauí e Ceará, na divisa entre os estados da Bahia e Espírito Santo e nos municípios de Mata de São João e Camaçari, na Bahia. Em Pernambuco, o óleo voltou a aparecer no município de Goiana, na manhã da terça-feira (29).

A restrição inclui a lagosta vermelha, a lagosta verde, a pesca de arrasto e artesanal de camarões rosa, branco e sete-barbas até o dia 30 de novembro de 2019 na divisa entre Pernambuco e Alagoas e nos municípios de Mata de São João e Camaçari, na Bahia. Até o dia 31 de dezembro, a medida continua proibindo a pesca dos camarões rosa, branco e sete-barbas na divisa entre Piauí e Ceará, entre a Bahia e o Espírito Santo e nos municípios de Mata de São João e Camaçari, na Bahia.

Com relação à sobrevivência dos pescadores, que ficarão impedidos de praticar a atividade nesse período, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, comentou sobre o seguro defeso que deverá ser pago pela União. “Falei pessoalmente por telefone com a Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Teresa Cristina, porque há uma necessidade de informação quanto a questão do seguro defeso, para vermos a proteção dos nossos pescadores”, contou o governador.

O benefício, pago a pescadores no período de reprodução das espécies, quando a pesca é proibida, será pago neste mês de novembro para pescadores que tiveram as atividades afetadas devido às manchas de óleo.