Em Batalha (foto acima), uma mulher, que não quis se identificar, descobriu durante exame de rotina que estava com Aids. “Eu fiquei um tempo sozinha e fiquei com algumas pessoas, mas com nenhum deles eu usei preservativo, posso ter contraído de qualquer um deles. Fiz exames e descobri que estava com Aids há um mês ”, contou.

O número de casos de Aids registrados no primeiro semestre deste ano no Piauí já é 50% maior que em todo o ano de 2013. Os dados foram divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde e segundo especialistas, o motivo desse crescimento acelerado é que pessoas de todas as idades estão deixando de usar preservativos. No ano passado foram 201 casos, enquanto em 2014 já são mais de 300 registros. Em cinco anos, foram registrados 11 casos em Batalha, cidade da Região da Grande Barras, localizada a 38 quilômetros da Terra dos Governadores.

Segundo especialistas, o aumento no número de Aids no estado é resultado do avanço no tratamento e da garantia de vida normal dos pacientes soropositivos. A Secretaria Estadual de Saúde informou que a maioria dos casos é com homens entre 24 e 30 anos e o total de notificações dos últimos cinco anos chega a 3.082. A maioria dessas notificações é em Teresina que registrou 1.341 novos casos. No interior,Parnaíba tem 97 casos, Altos tem 54, Campo Maior 49 e Piripiri 42.
O infectologista Kelson Veras contou que apesar de ser uma doença controlável é uma doença grave. “É uma doença que a pessoa vai tomar remédio para o resto da vida e às vezes esses remédios apresentam efeitos colaterais. É necessário que as pessoas voltem a ter a preocupação que tinham anteriormente com a Aids”, disse.
Um homem que convive com a doença há mais de 21 anos contou que prevenir ainda é o melhor remédio. “Por mais que você conheça a pessoa não confie de que ela não é soropositivo só porque você conhece, às vezes nem mesmo a pessoa sabe que tem a doença. O melhor é se proteger e fazer relações com preservativos”, declarou.