Uma jovem do sertão cearense, que descobriu ainda na escola uma proteína capaz de combater o zika vírus no organismo, tornou-se uma das estrelas de um documentário americano. Myllena Cristyna Braz, de 19 anos, é a única brasileira a figurar no filme Science Fair, que mostra a rotina de jovens de nove países que tiveram seus trabalhos escolhidos para a maior feira de ciências escolar do mundo.

A cearense é natural de Ema, distrito localizado a 6 quilômetros da sede de Iracema, e estudou numa escola pública local. Por isso, ela jamais pensou que o seu destaque na pesquisa acadêmica no ensino médio e na faculdade, que inclui ainda a invenção de um isopor que consegue barrar o derramamento de petróleo no mar, ganhasse repercussão internacional. 

As pesquisas de Myllena, filha de uma doméstica e de um agricultor que não concluiu o ensino fundamental, já a levaram a feiras de ciências no Chile e nos Estados Unidos. Ela conseguiu o feito de participar duas vezes da Intel Isef, a maior feira de ciências escolar do mundo.

O documentário em que Myllena conta sua história recebeu prêmios e, após o lançamento neste ano, foi adquirido para ser exibido pela National Geographic. Agora a jovem, que produziu as pesquisas em conjunto com um amigo da escola, Gabriel de Moura Martins, vai realizar outro sonho.

Myllena ganhou uma bolsa de estudos para estudar nos Estados Unidos. As malas estão quase prontas e, nesta quinta-feira, 3 de Janeiro de 2019, ela embarca pra Terra do Tio Sam.

(*) Tribuna do Ceará