O advogado de Nayra Veloso diz gostar de baladas e ter conhecido as garotas
barrenses Fernanda e Ydaiana

Proprietário do escritório que faz a defesa de Nayra Veloso, o advogado Ronaldo Henrique Santos Ribeiro, 30 anos, revelou ao portal Cidade Verde que conhecia a estudante Fernanda Lages Veras, de família de Barras, morta há seis meses. Ronaldo contou que foi apresentada a ela (Fernanda Lages) através de uma amiga chamada “Ydaiana”, filha de Barras, no ano passado.

“Eu vi a Fernanda por duas vezes. Uma delas não me lembro bem, sei que foi ano passado e outra quando sair com um grupo e ela estava com outras colegas. Sinceramente, ela era uma menina que não passava ser garota de programa como dizem por aí”, afirmou o advogado.
Ronaldo, que assume gostar de baladas, revelou que é amigo de Nayra Veloso há cerca de dois anos. Segundo ele, Nayra era acostumada a buscá-lo no aeroporto quando vinha de São Luis para Teresina ou saíam juntos para jantares.
Ajuda financeira
A primeira ajuda financeira que deu para as amigas de Fernanda Lages Veras foi no velório. Ronaldo contou que deu dinheiro para que as amigas pudessem confeccionar camisetas em homenagem a universitária morta. Ele também garantiu que ajudará a família de Nayra Veloso e não cobrará honorários.
“Faço isso pela amizade a Nayra. Ela é gente fina, uma pessoa excepcional e estão fazendo uma injustiça com ela. Se não fizesse isso (a defesa) meus amigos iriam me execrar”, disse o advogado, que divide a defesa com Ernesto Lopes, que está em Teresina acompanhando o caso.

Representação contra os delegados da Polícia Federal
Ronaldo confirmou que entrará com representação junto a Corregedoria contra os delegados da PF. Segundo ele, a prisão de Nayra Veloso foi ilegal. O facebook está sendo monitorizado e as pessoas que postaram ou estão postando fotos debochativas de Nayra Veloso responderão a processos por uso indevido de imagem e tentativa de maculação de imagem.
De acordo com advogado, não existe nenhuma perícia que comprove que Nayra esteve em frente ao prédio do Ministério Público Federal no dia do crime da Fernanda Lages Veras.
“Essa perícia não existe. É uma mentira. É pura especulação e não existe nos autos do processo”, disse Ronaldo Ribeiro.


Mãe de Nayra Veloso defende a filha em entrevista. Leia.

“Nayra é uma pessoa normal como as outras. Tem seus defeitos e qualidades. É uma menina sincera, companheira e muito presente na vida de seus familiares e das pessoas que ela acha realmente amigas. O problema é que Nayra é uma menina que acredita que as pessoas são amigas e sinceras, e hoje tenho a certeza que ela está sofrendo muito com tudo o que está acontecendo. Torço para que Deus lhe dê forças e coragem para sair disso com a cabeça erguida, confio e acredito na sua palavra, eu sei q tudo será esclarecido.
No dia em que Nayra foi presa, logo pela manhã ainda sem saber de nada, acordei com uma dor e uma angústia no peito, parecia prevê algo que iria acontecer, por volta das 11 horas, chegaram em minha residência dois policiais federais para contar sobre a prisão, na hora que soube, parecia que não estava em mim, pois, não parava de pensar como minha filha se encontrava naquele momento, sozinha e sofrendo sem a minha companhia.
Nayra passou o fim de semana que antecedeu a sua prisão em sua cidade natal, parecia tudo normal, brincou e se reuniu com os amigos e foi embora para Teresina na terça. Em todo caso, foi o ultimo dia em que pude ver minha filha rir e viver a vida como uma pessoa normal, agora o último contato que realmente tive com ela, coisa que não gosto de me recordar, foi vê-la naquela situação e me sentir de mãos atadas, em que tive apenas meia hora de conversa e de lá até hoje não pude ter mais contato com minha filha, o que está me machucando muito, pois, nunca fui de ficar sem ouvir a voz por tanto tempo.
Nayra conhecia Fernanda a pouco tempo, mas sempre em conversas comigo, pude perceber seu afeto e carinho por ela, e quando se deu todo esse fato, ela parecia não acreditar, no que estava acontecendo, ficou por muitos dias em choque até porque elas eram amigas, e sentiu como se tivesse perdido alguém da família.
Acho que não só pra mim, mas para toda mãe, que não são diferentes de mim, que amam seus filhos e querem bem a eles, o momento que mais me doeu, foi quando dei o ultimo abraço em minha filha, ela já detida e quando a levaram presa, neste momento pedi a deus que me colocasse no lugar de minha filha, por que é uma dor que não desejo a ninguém, tiraram de minha filha um dos bens mais valiosos, a liberdade.
Nós somos de família humilde, então, quando foi decidido colocá-la ai em teresina, nosso objetivo seria o de Nayra estudar e assim foi feito, mas o que acontece, ela não se identificou com o curso que cursara por 5 períodos o de “Direito”, depois ela tentou ingressar na área de “fisioterapia”, onde passou mais 3 periodos cursando, e agora estava ingressada em “Publicidade” e me dizia estar gostando do curso, nosso objetivo foi o mesmo de toda família, dar estudo ao seu filho, pois, só assim poderá ser alguem na vida.
Temo que minha filha não aguente o que está acontecendo e ela venha a ter algum trauma psicológico, mas com fé em Deus, tudo irá se esclarecer. Deus, de alguma forma, quer nos ensinar algo com tudo isso, e apesar do sofrimento, creio e entrego tudo nas mãos dele, sei que ele não vai nos desamparar.
Conheço a natureza da minha filha mais do que ninguém, sei que não pouparia esforços para me ver bem, eu sei que se ela pudesse ajudar nesse caso já teria falado pois ela sabe que estou sofrendo, sabe que a familia dela está sofrendo, então afirmo com toda força e convicção que ela não sabe de nada.
Não é Nayra que tem que provar que fala a verdade, é a polícia que tem que descobrir o que realmente aconteceu, e consequentemente minha filha sair disso tudo de cabeça erguida, falar o que ela sabe, tenho certeza que ela já falou, agora cabe a polícia investigar e chegar aos verdadeiros culpados, porque só depois disso minha filha vai poder prosseguir sua vida normalmente.
Como mãe e amiga de nayra já alertei diversas vezes, que precisava amadurecer mais e saber distinguir suas companhias, não querendo dizer que minha filha é melhor que ninguém, mais só quero o seu melhor como qualquer outra mae que ama e zela pelo bem estar de seus filho.
A vida da minha filha passou a ser um livro aberto onde todos podiam chegar e falar através da mídia o que queria, ouvi muitos comentários maldosos o que me deixou mais triste, mas acredito numa força maior e sei que Deus não vai me desamparar, minha filha é forte e vai sair disto muito mais madura e preparada para a vida.
Que seja forte e acredite em Deus, que aprenda com a experiência que a vida está lhe dando e ensinando, e que saiba dar mais valor a vida e as amizades verdadeiras.”
(*)  Yala Sena, Cidade Verde