Barrenses residentes nas imediações da Praça Antônio Félix de Carvalho, localizada por traz da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, na região do Centro Histórico de Barras, estão reclamando da falta de sossego nas madrugadas devido aos carros com som potente colocados na área. A população está desprotegida, pois não tem ação no sentido de coibir o abuso por parte das polícias Civil e Militar, do Promotor de Justiça, da Juiza de Direito e nem dos “irresponsáveis” membros do Conselho Tutelar; estes últimos chamamos de “irresponsáveis” por nós do tribunadebarras.com devido muitos dos frequentadores das badernas noturnas da Praça Antônio Félix de Carvalho serem menores de idade. Aliás, Conselho Tutelar em Barras é inoperante, só serve para seus membros ganharem dinheiro do Poder Público e para barganharem prestígio político partidário junto a vereadores, prefeito, vice-prefeito, já que esses “se matam” para elegerem seus candidatos preferidos quando há eleição para o Conselho Tutelar.
Leiam abaixo o que a Justiça está fazendo em Teresina:
A justiça do Piauí autorizou infrações mais duras contra os motoristas que perturbam o sossego público. A partir deste mês, os carros apreendidos pela Delegacia do Silêncio ficaram retidos e serão encaminhados ao juiz. Antes, o veículo era liberado após a retirada do som e pagamento de multa. As apreensões cresceram cerca de 50% e uma média de 10 carros são retidos por final de semana. 

A reincidência a lei do silêncio virou uma afronta à polícia. Um mesmo motorista já chegou a ser multados por 10 vezes e continua  desobedecendo a lei. 

O delegado Evaldo Farias, que coordena as Especializadas, ressaltou que outro problema grave é a falta de depósitos, já que os atuais estão superlotados. Mais de 90 paredões de som foram apreendidos este ano.

“Os dois depósitos da polícia não cabe mais e o do bairro Redonda não tem como receber mais equipamentos”, disse Evaldo Farias. 

Com a nova medida, os veículos apreendidos serão levados para o deposito do Detran. O delegado ressalta que o motorista fica responsável pela multa diária de R$ 20,65 e o reboque do carro.
Lendo o texto acima vemos a crer que em Barras é necessário de um Delegado de Polícia, Promotor de Justiça e Juiz de Direito “que tenha pulso”.