O coordenador de operações especiais da PM-PI, coronel Marcio Oliveira, informou que, além do dinheiro do caixa, os suspeitos levaram o celular de um dos vigias. Jeová Alencar, presidente da Câmara, completa que os criminosos entraram no protocolo, no gabinete do vereador Evandro Hidd e na sala do diretor administrativo.

“Eles não levaram nada do gabinete. Estavam apenas procurando o sistema de monitoramento das câmeras, mas não acharam e por isso tiveram que colocar a lona para evitar que fossem filmados”, acrescenta o vereador.

A quadrilha quebrou três câmeras, colocaram um plástico preto impedido a gravação de outras três, mas duas ficaram intactas e, possivelmente, gravaram toda a ação.  Eles não conseguiram encontrar o sistema de gravação.

O presidente da CMT reforçou que até o momento apenas os celulares dos vigilantes e o dinheiro do caixa foram levados.

A retirada dos caixas eletrônicos da Câmara havia sido solicitada no dia 21 de maio, porém não foi atendida. Segundo Jeová Alencar, um representante da Caixa Econômica Federal informou que assim que for concluída a perícia serão removidos os terminais de autoatendimento.

Para o presidente da Câmara, o crime foi planejada. Para evitar novas investidas contra a Câmara Municipal de Teresina, o vereador disse que vai solicitar a  presença de guardas municipais para reforçar a segurança no prédio.

“Vamos marcar um expediente com o prefeito visto que é um prédio público e que ele possa nos dá o reforço com a Guarda Municipal”, comentou o presidente da CMT, vereador Jeová Alencar.