A reportagem do site de notícias Tribuna do Nordeste entrevistou a goleira Grazi Sousa, 21 anos, com destacada atuação no time principal do Club de Regatas Vasco da Gama. Sua história de persistência, dedicação, emocionou o jornalista Reinaldo Barros Torres, editor do Tribuna do Nordeste e apresentador do TV Nils Esporte, programa da TV Nils que vai ao ar todas as segundas-feiras das 19 às 20 horas.

Grazi disse que sua história começou há seis anos, quando ela tinha 15 anos de idade.  No Povoado Santa Lúcia, município de Duque de Caxias-RJ, no Campinho do Cabeludo, havia um projeto de futebol masculino treinado pelo Professor Márcio, chamado Imbariê Futebol Clube. Esse projeto era destinado apenas para garotos, mas Grazi e outras começaram a treinar com os meninos após permissão do treinador. A habilidade das meninas dentro de campo fez com que além de chamar atenção para elas, outras garotas aparecessem. Com o surgimento de outras, chegou um momento em que o Professor Márcio resolveu formar um time de futebol feminino, só que não havia goleira!

A dor de cabeça do Professor Márcio em não encontrar uma goleira para o time feminino terminou quando ele tirou “da linha” Grazi Souza, colocando-a como goleira.  E o treinador não se decepcionou: Grazi defendeu até cobrança de penalidade!  Mesmo ela não querendo continuar como goleira, a insistência do treinador terminou fazendo com que fizesse opção mesmo pela camisa 1 do time.

Treinos e mais treinos ajudaram a “amadurecer” o time das meninas. Daí o Professor Márcio resolveu inscrever o time em um torneio. E elas não decepcionaram, ficaram em segundo lugar na competição, posição honrosa, portanto, para um time recém-criado.  

A partir daí Grazi passou a fazer treinos específicos de goleira no Aterro do Flamengo-RJ. Ela disse a reportagem do Tribuna do Nordeste que literalmente “comia muita areia” de tanto que estava treinando! Nesse meio tempo, sempre estudando, levava o irmão ao colégio 7h30min, voltava para casa, arrumava toda a casa e depois ia treinar.  Treinando no Campo da Dona Maura, no Conjunto 22 de Abril, após o treino e às 11h30min buscava o irmão na escola, tomava um banho e se arrumava para ir para seu colégio. Toda essa luta aos poucos começava a ser recompensada e a menina despertava cada vez mais a atenção das pessoas em virtude da desenvoltura como goleira.

Ela disse: “o treinador Márcio sempre me ajudou, treinávamos todos os dias, (sempre comendo areia), caia e levantava, caia e levantava, e com o tempo o time foi acabando até que comecei a jogar no Crai (uma quadra de futsal que tem em Imbariê); passei a jogar e treinar lá, treinava como goleira com uma amiga, participei de uns torneios lá em Bonsucesso, só que lá era campo sintético, muito bom de agarrar, gostava muito de lá. Como nós ficamos sem treinador, eu ficava só jogando com as meninas dia de sexta-feira, (eu como sempre teimosa, jogava na linha), mas sempre que participávamos de algum amistoso ou competição, eu ia para o gol, porque eu sempre gostei de ganhar meus troféus e medalhas como goleira, eu era a única da região que conseguia ter isso, e então teve um dia que jogamos contra o MDO, (Meninas de Ouro), time de Fragoso/Magé, e após o jogo o treinador Paulo se encantou por mim e me chamou para treinar com ele, para ser a goleira titular do time dele e desde então fiquei treinando lá direto com ele, participando de altos torneios, mesmo sem a permissão dos meus pais, porque não me deixavam treinar; tinham medo de acontecer alguma coisa comigo, mas mesmo assim eu ia, passava por cima da decisão deles e treinava, porque sempre foi o que eu realmente queria, o que eu mais amo fazer até hoje. E através do Meninas de Ouro eu comecei a participar de torneios maiores que foram me divulgando, fui crescendo e sendo mais conhecida como goleira titular do MDO, ganhei medalhas como melhor goleira da partida, com esse crescimento os times da região ficavam com medo de jogar contra nosso time porque me viam no gol, time do Magé. As Guerreiras de Petrópolis, ganhei uns 3 ou 4 troféus de melhor goleira, foram competições “pequenas” mas que significam muito pra mim. O coordenador do futebol feminino da Faculdade Universo me ofereceu bolsa de estudos para jogar por lá, só que como era muito longe e não tinha condições financeiras então não pude ficar”, disse.

Mas a luta de Grazi no futebol continua: “Com a visibilidade que fui ganhando nos jogos, torneios e campeonatos, um time aqui da região chamado Juventude me fez um convite para jogar pelo Campeonato Carioca, no qual me tornei três vezes seguidas a melhor goleira da partida,  e ainda teve outra partida que me tornei a melhor goleira sem votações que foi contra o Brás de Pina, que não conseguiu fazer um só gol conta a gente”.

Vasco da Gama

A imagem pode conter: 1 pessoa, praticando um esporte, sapatos, grama e atividades ao ar livre

“Eu conhecia uma menina do Vasco que sempre jogou comigo desde sempre que é a Laina; sempre correu atrás dos objetivos dela, e então ela disse que no Vasco estava precisando de goleira e me levou para fazer o teste. E eu fui mesmo sem nem os materiais; pedi emprestado calça, fui para os testes sem luvas, aí comecei a caminhar pelo Vasco; só que teve um momento em que aconteceram algumas coisas na minha vida e eu tive que parar, estava fazendo curso de Enfermagem, no trabalho eu fui mandada embora, treino do MDO eu estava suspensa e minha vida desabou; não tinha mais futebol que era tudo o que eu mais queria na vida, e com o passar do tempo a Laina comentou comigo que o treinador do Vasco perguntava sempre por mim e então eu decidi voltar a continuar fazendo o teste pelo Vasco da Gama”. Concluiu.

A persistência de Grazi valeu à pena. Ela hoje é destacada goleira do time principal do Vasco da Gama, mas ainda luta com dificuldades já que o futebol feminino no Brasil não recebe muito apoio.  Mas a caminhada de Grazi rumo ao ápice da sua vida profissional continua, ela conheceu recentemente o gerenciador de atletas Luis Bastos, personalidade muito conhecida no Rio de Janeiro e de trabalho conceituado. Luis Bastos se prontificou a gerenciar a carreira da goleira Grazi, que agora ver novos horizontes começarem a surgir na sua vida.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, grama, shorts, atividades ao ar livre e natureza

A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, grama, atividades ao ar livre e natureza