A iminência de paralisação dos agentes de segurança pública no Ceará terminou com disparos feitos contra o senador Cid Gomes (PDT), nesta quarta-feira, 19, em Sobral, região Norte do Estado. Ainda pela manhã, vídeos divulgados nas redes sociais mostravam homens encapuzados circulando pelas ruas de Sobral em viaturas e ordenando que comerciantes fechassem as portas.

Antes de chegar a Sobral, Cid demonstrou indignação em postagem nas redes sociais e convocou a população para esperá-lo no aeroporto de Sobral, às 16h. “Eu quero pedir a cada irmã e a cada irmão sobralense do bem que não se conforma e que está indignado com essa situação para me esperar”, afirmou.

Cid chegou a Sobral e fez um discurso com críticas ao movimento de paralisação deflagrado nas últimas horas por parte da PM. “Quem tem direito de andar armado não pode, pela nossa Constituição, fazer greve”, afirmou. O senador mostrou que estava desarmado e chamou os policiais de “bandidos”.

Ao chegar no quartel onde os agentes estavam concentrados, o parlamentar se desentendeu com manifestantes e disse que aquilo era ilegal. “Vocês têm cinco minutos para pegarem seus parentes, esposas e filhos e sair daqui em paz”.

Passado o tempo, Cid avançou contra os portões do quartel dirigindo uma retroescavadeira, na tentativa de invadir a unidade. Logo depois, disparos feitos por arma de fogo foram registrados. Ao menos dois deles, cujo autor ainda não foi identificado, teriam atingido o senador. 

Cid foi encaminhado para o Hospital do Coração de Sobral (SCMS) e será transferido para a Santa Casa de Misericórdia. Segundo boletim médico divulgado pelo SCMS, o quadro cardíaco e neurológico do senador não apresenta alteração e ele se encontra lúcido e respirando sem auxílio de aparelhos. 

Equipes da Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal, enviadas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), já estão em Sobral. Em nota, a pasta afirma que objetivo é “garantir a segurança do Senador Cid Gomes”. O comunicado adiciona que acompanha “a situação no Ceará e analisa as providências que podem ser tomadas”.

Ciro Gomes, líder nacional do PDT, se pronunciou após seu irmão, o senador Cid Gomes ser atingido por dois disparos de arma de fogo na tarde desta quarta-feira, 19, em Sobral. Em seu perfil no Twitter, ele relatou que as balas não atingiram órgãos vitais e que novos exames estão sendo feitos.

(*) O Povo

Tribuna do Nordeste