A cidade de Esperantina, distante 160 Km ao norte de Teresina,
está chocada com um fato acontecido na cidade após a veiculação nacional do
suicídio de um médico em São Paulo, que vestiu-se de mulher e colocou uma
música fúnebre tocando direto no ambiente onde se matou. Neste Domingo, 24 de
Setembro, José Orlando de Carvalho, de 37 anos de idade, usou as redes sociais para
anunciar o seu próprio suicídio.
José Orlando (foto ao lado), era solteiro e residia na Rua Conrado Melo no
centro de Esperantina, cidade localizada na chamada Região da Grande Barras.
Seu corpo foi encontrado no final da noite 
deste Domingo, em sua residência, pendurado com uma corda no pescoço.
Ele chegou a usar as redes sociais, por volta das 21 horas, para se despedir de
todos.

José Orlando chegou a trabalhar vários anos em linha de transmissão de energia,
mas atualmente estava desempregado.

Considerado uma pessoa tranquila e de poucas palavras, José Orlando antes de
cometer a tragédia ainda chegou a escrever uma carta, onde pediu para os seus
familiares quitarem uma divida financeira com uma pessoa indicada; relatou
ainda que não queria velório e gostaria de ser sepultado com a mesma roupa que
estava vestido.

Na mensagem enviada nas redes sociais, a vitima agradece a atenção de todos,
pede desculpas por ter se matado e finaliza usando a palavra em inglês “game
over”, ou seja, “o jogo acabou”.
José Orlando de Carvalho foi enterrado neste Segunda-feira, 25
de Setembro, no Povoado São Bento, município de Batalha, cidade distante 15Km
de Esperantina.
O esperantinense cometeu suicídio exatamente no momento em que
todo o Brasil realiza a “Campanha Setembro Amarelo”, conscientizando as pessoas
para não cometerem suicídio, já que os casos se avolumam pelo País e o Piauí é
um dos estados recordistas nessa fatalidade.
(*) Com informações e fotos do Jornalesp