João Paulo, Biro Biro, Roney, Bismarck e Otacílio começaram como titulares. Anderson Alagoano entrou no segundo tempo. Guilherme ficou no banco de reservas. O zagueiro Cris nem foi relacionado. 

Em comum: todos jogadores do River Atlético Clube, atual campeão piauiense. E todos sem as melhores condições de jogo, seja por gripe ou uma virose que afetou o elenco nos últimos dias.

Foi assim que o River entrou em campo, na tarde deste sábado, 11 de Maio de 2019, contra o Floresta-CE, no Estádio Domingão, em Horizonte-CE. Só por isso, já é possível concordar que o empate em 0 a 0 foi um bom resultado para o Galo.

A informação sobre a virose foi revelada pelo volante João Paulo, em entrevista para a Federação Cearense de Futebol, logo após o jogo. 

– A gente sentiu um pouco de dificuldade, até com a viagem também. Essa virose desidratou um pouco a gente. Mas, graças a Deus, a gente conseguiu sair com um grande resultado, que é o empate. 

Mais tarde, o técnico Marcinho Guerreiro admitiu que a semana foi “conturbada” por conta da virose e “muitos jogadores vieram para o sacrifício”.

Fica mais fácil entender porque o River produziu pouco no ataque. Mais incisivo, o Floresta-CE teve as melhores chances do jogo, mas parou sempre na defesa tricolor ou no goleiro Mondragon, que fez defesas importantes e foi o destaque do time piauiense na partida.

O River chega a 4 pontos e mantém a liderança no grupo A4. O Floresta-CE soma apenas 2 pontos. O Santa Cruz-RN, que tem 1 ponto, visita o Bragantino-PA neste domingo, fechando a segunda rodada.

No domingo, 19 de Maio, o River volta a jogar em casa, dessa vez com o Santa Cruz, de Natal-RN. A partida será no Estádio Albertão, às 16 horas. No mesmo dia, o Floresta-CE visita o Bragantino-PA.

(*) Fábio Lima (Na Esportiva, Cidade Verde). Fotos: Victor Costa