Nos primeiros 90 minutos, o Bragantino levou a melhor. Com gol de Matheus Peixoto, o Alvinegro engatou seu terceiro triunfo seguido ao bater o Vitória por 1 a 0 em seus domínios, no jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil. Na volta, a equipe tem a vantagem do empate. O primeiro tempo foi movimentado, mas teve poucas jogadas ofensivas e muitas faltas. Nos 45 finais, apenas a equipe mandante mudou a postura: começou partindo para cima, mas pecou demais no último passe e não conseguiu ampliar o placar. O Vitória, por sua vez, continuou explorando as laterais do campo para chegar ao empate, mas não foi o suficiente.

O PRIMEIRO TEMPO

O primeiro tempo foi equilibrado. Embora tenha entrado no 4-3-3, o Bragantino imprimiu forte marcação na intermediária para travar o ataque do Vitória e explorar os contra-ataques, sobretudo com Anderson Ligeiro. O Rubro-Negro, por sua vez, tentou infiltrações pelas pontas, com Bryan e Neilton, mas não conseguiu ameaçar o time paulista. Apesar de movimentado, o primeiro tempo teve poucas chances de gol – o que só mudou aos 37, quando Matheus Peixoto abriu o placar para o Bragantino, após jogada aérea.

O SEGUNDO TEMPO

Após o intervalo, o time paulista voltou disposto a ampliar o placar. Assim como na primeira etapa, as melhores chances de gol foram de Anderson Ligeirinho. Bastante acionado pela lateral direita, ele abusou da velocidade e deu dor de cabeça a defesa baiana. O Vitória acordou para a partida após os 19 minutos, quando chegou com perigo ao gol adversário pela primeira vez, com Denílson. Na tentativa de empatar, o time de Vagner Mancini foi para cima (Kanu até chegou a atuar como centroavante), criou outras chances de gol com bola parada, mas não conseguiu tirar o zero do placar. E vale lembrar: três foram expulsos. Pelo Rubro-Negro, Uillian Correia e Yago. Pelo Bragantino, Ítalo.

(*) Com informações e foto do Globoesporte/BA