Com uma média de 94% dos presos já respondendo por outros crimes,
policiais civis e militares de Teresina não escondem a sensação de estarem
“enxugando gelo” nas ruas da capital do Piauí. “Já aconteceram casos em que eu prendi a
mesma pessoa duas vezes no mesmo dia, pela manhã e no final da tarde, por
crimes diferentes”, observa o sargento J. M. P., 14 anos de Polícia Militar do
Piauí.
O rodízio é tamanho, no Piauí, que os presos chegam a fazer “chacota”
nas redes sociais, gravando áudio e mandando para os comparsas que estão em
liberdade, dizendo que se encontram apenas de férias na Penitenciária Major
César de Oliveira.
Policiais, com tamanha revolta, chegaram a gravar um vídeo (abaixo) para
mostrar o descaso com o trabalho da polícia e a chocante situação da
impunidade no Brasil. Eles prenderam uma mulher com oito revólveres e, no mesmo
dia, foi solta. Doze horas depois, os policiais que a prenderam foram até a
casa dela, para mostrar que a mulher presa em flagrante já estava em liberdade,
tranquila e solta.  

Mulher é presa com oito armas e solta em seguida

Na Central de Flagrantes de Teresina, a grande maioria dos  presos
em flagrante já são “velhos fregueses”. A modalidade de crimes deles,
geralmente, também é a mesma: o ladrão de celular sempre volta por roubo de
celular. “O que vai aumentando e tornando o crime mais perverso, são as
condutas, cada vez mais violentas, praticadas pelos criminosos”, constata o
investigador João Faustino.
O fato de um “elemento” contumaz em práticas criminosas viver
sendo preso e solto em seguida, acaba por transmitir para a sociedade uma
sensação de insegurança. Ao ponto de policiais militares de Salvador, na
Bahia, voltarem a casa de uma mulher presa em flagrante com oito
revólveres e gravar um vídeo com ela, contando detalhes de como ganhou
liberdade no mesmo dia da condução.
“Eu sai com alvará. Estou aqui limpa. Vou responder a bronca”, disse ao
mesmo militar que havia efetuado a sua prisão 12 horas antes.
Polícia responde com trabalho
Ao ser questionado pela reportagem do Portal AZ sobre a
problemática da reincidência de criminosos em Teresina, o delegado geral da
Polícia Civil, Riedel Batista, disse que prefere responder com trabalho. Com
exclusividade, o delegado informou que somente no mês de agosto passado (ano de
2017), foram realizadas onze operações, com o cumprimento de mandados de 71
prisões.
As operações do mês de Agosto
1 – Dia 1 de agosto: Operação em Campo Maior, de combate ao tráfico de
drogas.
2- Dia 2 de agosto: Operação Fantasma, de combate a corrupção em
prefeituras.
3- Dia 4 de agosto: Operação Conexão
4 – Ainda no dia 4 de agosto: prisão do caso inédito de estupro virtual
5- Ainda no dia 4 de agosto: Operação Acossar, da Polinter, de combate
ao roubo de veículos.
6 – Ainda no dia 4 de agosto: Operação Pullus, da Delegacia de
Entorpecentes.
7 – Para encerrar o dia 4 de agosto, a Polinter e o Greco, desbarataram
grupo criminoso que roubou carga em Água Branca.
8- Dia 5 de agosto: a prisão de outra pessoa que roubou outra carga, mas
acabou presa em Timon.
9- Dia 8 de agosto: policiais do sétimo e oitavo DPs deflagraram
operação e prenderam assaltantes na zona norte de Teresina.
10- Dia 9 de agosto: Operação Dark Blue, em Floriano
11- Dia 10 de agosto: Operação da Depre, Crates e DHTL, em Parnaíba e
Piripiri.
12 – Dia 11 de agosto: Operação Buritis, em Inhuma.
(*) Publicação original do Portal AZ